GDI realiza encontro para discutir e incentivar a cultura exportadora

No dia 11 de Dezembro (terça-feira),  às 18h30, o Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação vai realizar o 5º Meet-Up: “Como começar a vender no exterior”, guiado pela Élida Rabelo e Fernanda Alves, ambas do Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX).

No encontro, a conversa será voltada para se mostrar os meios pelos quais as empresas podem iniciar o processo de exportação de seus produtos e serviços, estimulando a competitividade e promovendo a cultura exportadora. Na ocasião, haverá também uma reunião do GDI em que se discutirão todas as ações desenvolvidas pelo grupo e os planos para o próximo ano.

O evento ocorrerá no Restaurante Pimenta, Picanha e Pinga (Av. Eugênio do Nascimento, 310 – Aeroporto, Juiz de Fora – MG), com um rodízio de petiscos que será servido à R$30, com venda de bebidas a parte. Os interessados devem se increver gratuitamente pelo link: http://bit.ly/5MeetUp

Critt promove Conecta UFJF

Com o objetivo de aproximar as empresas e a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), e de elevar o número e a qualidade de pesquisas aplicadas de cunho inovador, o Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt) apresenta o Conecta UFJF. O evento será no dia 22 de novembro, no Centro de Ciências da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), às 19h30. Nele, será apresentado um portfólio de serviços e consultorias que a Universidade pode oferecer às empresas e empreendedores independentes de Juiz de Fora, facilitando o contato e auxiliando essas parcerias. As inscrições podem ser feitas aqui.

 

De acordo com a idealizadora do evento e gerente de Inovação e Transferência de Tecnologia do Critt, Débora Marques, é por meio do Conecta UFJF que uma conexão mais fluida e mais rápida entre empreendedores e a Universidade se torna possível. “Nós apresentamos um portfólio de serviços e produtos já separados em áreas específicas, para facilitar para os parceiros saberem no que a UFJF pode ajudá-los.”

save-the-date-conecta

 

O objetivo do evento é apresentar os produtos e serviços oferecidos pela UFJF que possam ajudar a desenvolver seu negócio: “Queremos colocar em contato os conhecimentos acadêmicos que a Universidade pode oferecer, para contribuir e fazer com que seja possível às empresas ter um produto diferenciado, realizar um teste ou validação, desenvolver um protótipo, ou, ainda, usar laboratórios da UFJF.”

 

Todo esse processo será feito pela Transferência de Tecnologia do Critt – setor responsável por articular e formalizar parcerias entre empresas e Universidade. Uma das parceiras da UFJF, é a OPT Soluções. A empresa – que trabalha com a venda de peças no site “Peça Agora ”, – começou seu vínculo com o Critt pelo processo de incubação, e agora já está graduada e situada no condomínio de empresas.

 

De acordo com um dos sócios, Felipe Bronté, “contar com apoio gerencial e técnico especializado de incubadoras, como o Critt UFJF, faz muita diferença no processo. No nosso caso, foi uma parceria de sucesso, focamos ao máximo no desenvolvimento do projeto e hoje colhemos resultados muito positivos.”

 

Por conta da experiência de trabalhos com o Critt e a UFJF, a OPT Soluções participará do Conecta para contar sobre sua parceria e esclarecer dúvidas dos empreendedores interessados. Sobre a participação no evento, o outro sócio da empresa, Nuno Balhau, conta: “para nós, da OPT, é muito gratificante participar do Conecta enquanto empresa estabelecida no mercado. O início de uma startup pode ser muito turbulento devido a essência desse conceito, a inovação.”

 

No Conecta UFJF as empresas saberão, por áreas, quais serviços a UFJF oferece e como as parcerias podem acontecer.

 

Para saber mais sobre a Transferência de Tecnologia, acesse: http://www.ufjf.br/critt/

 

Email: att.critt@ufjf.edu.br

Telefone: 32 2102 3435 (ramal 212)

 

*Este conteúdo foi produzido pelo Setor de Comunicação do Critt e reproduzido pelo Núcleo de comunicação do GDI.

I Workshop GDI Mata e Vertentes reúne diversos setores nos dois anos do grupo

Para comemorar os dois anos do Grupo de Trabalho, Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata) foi realizada nesta quinta-feira, 23, o I Workshop GDI Mata e Vertentes que finalizou uma série de encontros que celebram a data. O evento aconteceu Museu de Arte Murilo Mendes (Mamm) e envolveu acadêmicos, empresários e representantes do poder público em discussões acerca de temas relacionados ao desenvolvimento econômico, utilização de tecnologias associadas à indústria 4.0 e os caminhos para construção de um ecossistema de inovação na Zona da Mata mineira e Vertentes.  

Segundo o prefeito Antônio Almas, o evento é uma grande oportunidade de desenvolvimento regional. “Acredito que Juiz de Fora não pode pensar no seu crescimento sem ter a visão da Zona da Mata e Vertentes. Esses dois anos do GDI são comemorados com essa visão de rede, que permite dialogarmos e pensarmos o crescimento de toda a região”.

O reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora, Marcus David avaliou o evento como uma síntese do papel que a instituição deve exercer para contribuir com o desenvolvimento local. “A Instituição deve possibilitar que o conhecimento possa ser apropriado pelo mercado para alavancar o crescimento da região. As associadas do GDI possuem todas as condições de oferecer oportunidades para as empresas”.

As palestras e o painel contaram com a presença da presidente do Sindicato das Indústrias de Alimentação de Juiz de Fora (SIA-JF) e proprietária da empresa de Condimentos Portuense, Flávia Gonzaga; do presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Mobiliário de Ubá (Intersind), Áureo Barbosa; do atual presidente da Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região (ADJFR), Célio Carneiro Chagas; do diretor-geral do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), David Kupfer; e do diretor-executivo da Fundação de Desenvolvimento e Pesquisa Participações S/A (Fundepar), Ramon Dias de Azevedo.

No evento, além da exibição de toda a trajetória do grupo nesse dois anos de existência e ações em curso, foi revelado que estão sendo feitas conexões para que a Universidade Federal de Viçosa (UFV), a de São João del Rei (UFSJ), e a de Lavras (UFLA) integrem o grupo, tornando assim, o GDI Zona da Mata e Vertentes.

I Workshop GDI Mata e Vertentes marca os dois anos do grupo

O Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata) está completando dois anos de existência e vem realizando uma série de eventos para marcar a data. Para finalizar a programação, no dia 23 de agosto, vai realizar, no Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM), a partir das 17 horas, o I Workshop GDI Mata e Vertentes. Na ocasião, acadêmicos, empresários e profissionais envolvidos em instituições públicas vão debater as perspectivas da economia regional, considerando as possibilidades de desenvolvimento e utilização de tecnologias associadas à indústria 4.0 e os caminhos para construção de um ecossistema de inovação na mata mineira e vertentes.

O encontro vai contar com a presença de Flávia Gonzaga, proprietária da empresa de Condimentos Portuense e presidente do Sindicato das Indústrias de Alimentação de Juiz de Fora (SIA-JF), que vai participar do Painel “Perspectivas da economia da Mata e Vertentes: a visão empresarial” ao lado de Aureo Barbosa, presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Mobiliário de Ubá (Intersind) e Célio Carneiro Chagas, atual Presidente da Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região (ADJFR). Já David Kupfer, diretor geral do Instituto de Economia da UFRJ, vai falar sobre a “Indústria 4.0 no Brasil – Perspectivas pública e privada”, trazendo sua visão a partir dos resultados da pesquisa coordenada por ele sobre o panorama atual e futuro desse campo, encomendada pelo projeto Industria 2027 e publicada em dezembro de 2017.

Para fechar o evento, contaremos com uma palestra ministrada por Ramon Dias de Azevedo, Diretor Executivo da Fundep Participações S/A, com a temática: “Como consolidar um ecossistema regional de inovação?”.

Seguindo uma série de meet-ups sobre as perspectivas de atuação do grupo, o workshop, além de traçar um panorama para as futuras atividades, serve como uma oportunidade para a disseminação de informação sobre as áreas que vêm se expandindo dentro do mercado de inovação e que afetam a competitividade do setor produtivo brasileiro.

 

As inscrições deverão ser feitas pelo link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScfqvfa4f2f3Bll7-oe5KD0_GRsGzYRoFnGzVucgGkCyq66Xw/viewform

 

Duvidas e outras informações pelo e-mail: gdimata@gdimata.com ou pelo telefone (32) 2102-3435 (Ramal 206)

 

Confira abaixo a programação completa do evento:

atualizado

GDI Mata promove o 1° Meet-Up: Trajetória e Novas Perspectivas

Aconteceu ontem (17/07) o 1° Meet-Up GDI-Mata: Trajetória e Novas Perspectivas, o primeiro de uma série de encontros que marcam os dois anos do Grupo de Trabalho, Desenvolvimento e Inovação para a Mata Mineira. Os encontros servem para estimular o diálogo entre diferentes esferas da sociedade e traçar novas perspectivas de atuação do grupo no futuro.

No primeiro encontro, o empresário Yoshio Shubo apresentou sua experiência no Vale do Silício e o que aprendeu que pode servir para traçar objetivos mais específicos dentro do grupo. O diretor do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt), Ignácio Delgado, também apresentou as conquistas e realizações ate o momento e o que está definido como meta para o futuro, além de colocar alguns pontos positivos e negativos no grupo para debate entre todos.

O próximo Meet-Up está previsto para ocorrer no dia 7 de agosto, no Mr. Tugas, com o tema “Estratégias para fomentar vendas locais” e a presença do economista Fernando Perobelli. Ainda haverá o seminário ” I Workshop GDI-Mata e Vertentes” no Museu de Artes Murilo Mendes (MAMM), dia 23 de agosto, encerrando as celebrações.

Confira abaixo as fotos do evento:

1° Meet-Up GDI Mata

 

Juiz de Fora recebe Exchange Sebrae e Hackathon JF Inteligente

Eventos voltados para estudantes e profissionais nos segmentos da tecnologia da informação, business e design quer auxiliar no desenvolvimento do ecossistema de inovação do município

 

 

No dia 8 de junho, o Sebrae Minas promove mais uma edição do Exchange Sebrae, evento gratuito que tem o objetivo de estimular a criação de negócios inovadores, apresentar soluções e tendências do mercado e oferecer capacitações para quem quer empreender nos segmentos de tecnologia, inovação e startup.

A iniciativa tem como proposta transformar ideias em negócios de sucesso, propiciar interação e capacitação, fomentar a cultura empreendedora, fortalecer os pequenos negócios e estimular a criação de negócios inovadores.

Durante o evento, serão três salas de aprendizado e discussão: Educação do FuturoNegócios 4.0 e Smart City. Os participantes que se inscreverem na sala Smart City poderão integrar as atividades do Hackathon JF Inteligente, maratona de desenvolvimento que ocorre nos dias 9 e 10 de junho e que tem o propósito de atender aos desafios enfrentados pela sociedade local.

 

O Hackathon é organizado pelo Sebrae Minas, em parceria com o Grupo de Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira e Vertentes (GDI Mata), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do estado de Minas Gerais (Sedectes), a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG) e a Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Fadepe), com o apoia da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora (PJF).

No Hackathon JF Inteligente, estudantes e profissionais nos segmentos da tecnologia da informação, business e design se juntarão em equipes, com o objetivo de desenvolverem aplicativos que atendam às demandas urgentes da cidade, dentro de seis eixos que serão divulgados no dia do evento. Através de uma pesquisa prévia com a PJF, os eixos foram levantados e elencados para o evento, através de votação do comitê organizador da maratona.

O objetivo da maratona é desenvolver propostas relacionadas ao conceito de cidades inteligentes (smart cities), ou seja, promover a melhoria da infraestrutura urbana e tornar a cidade mais eficiente e melhor de se viver, por meio do uso da tecnologia da informação e comunicações (TICs).

 

Segundo a analista do Sebrae Minas, Camila Villela, o objetivo dos eventos é desenvolver o sistema empreendedor na cidade, dentro da área de tecnologia. “O Sebrae tem um projeto de inovação, cujo objetivo é auxiliar no desenvolvimento do ecossistema de inovação do município. Durante o Hackathon, lançaremos o desafio para que os participantes consigam resolver alguns dos problemas encontrados na cidade”.

 

 

Programação Exchange Sebrae

13h30: Credenciamento

 

Sala 1: Educação do Futuro

14h às 15h: Inovação nos processos de educação

15h às 16h: Como integrar criatividade e tecnologia na educação

16h às16h30: Intervalo

16h30 às 17h30: Educação empreendedora no ensino fundamental e médio

17h30 às 18h30: Google for education

 

Sala 2: Negócios 4.0

14h às 15h: Tecnologia Disruptiva – realidade virtual, internet das coisas e robótica

15h às 16h: Estratégias de marketing e vendas

16h às16h30: Intervalo

16h30 às 17h30: Tendências de consumo e comportamento do consumidor

17h30 às 18h30: Growth Hacking, validação e experiência

 

Sala 3: Smart City – Cidade Inteligente

14h às 15h: Startups e Empreendedorismo de Impacto – Negócios Inovadores

15h às 16h: Economia Colaborativa

16h às16h30: Intervalo

16h30 às 17h30: Inovação como motor do desenvolvimento econômico

17h30 às 18h30: Cidades Sustentáveis

 

Exchange Sebrae – Smart City

Data: 8 de junho de 2018

Local: Centro de Ciências da UFJF (Rua José Lourenço Kelmer, s/n, Praça Cívica, São Pedro)

Informações: (32) 3257-4719

Inscrições: https://www.sympla.com.br/sebrae-exchange–hackathon—jf-inteligente__290853

 

Hackathon JF Inteligente

Data: 9 e 10 de junho de 2018

Local: Centro de Ciências da UFJF (Rua José Lourenço Kelmer, s/n, Praça Cívica, São Pedro)

Informações: (32) 3257-4719

Inscrições: https://www.sympla.com.br/sebrae-exchange–hackathon—jf-inteligente__290853

Lançado edital de inovação para indústria da Shell

A Shell lançou a chamada Monitoramento, controle e análise de dados em tempo real, que integra o programa Shell Startup Challenge Brasil. A ação tem objetivo de identificar projetos tecnológicos em fase inicial, identificando empresas que tenham competência tecnológica para, junto à Shell, desenvolver provas de conceito orientadas aos desafios da digitalização do setor.

Nesta parceria com o Edital de inovação para a indústria, podem participar startups, microempreendedores individuais (MEIs) e micro e pequenos empreendedores (MPEs). A submissão de propostas neste edital implica que as empresas estão de acordo com as regras do Edital de Inovação para a Indústria.

A empresa está em busca de soluções tecnológicas com possibilidade de aplicação na digitalização do setor de Petróleo e Gás. A digitalização, em última instância, irá mudar a forma de trabalho e como as pessoas conduzem as suas atividades. Para as indústrias de petróleo e gás, esta transformação será decorrente da automação, otimização dos processos e da análise de dados de big data.

Aberto edital do IF Sudeste MG para projetos de Pesquisa, Extensão e Inovação

Está aberto o período de submissão de propostas ao edital 03/2018 do IF Sudeste MG – Apoio a projetos com interface entre Pesquisa, Extensão e Inovação.

O valor dos recursos solicitados em cada projeto deverá ser de, no máximo, R$ 20.000,00 (vinte mil reais) para itens tais como material de consumo, bolsas, diárias, passagens, material gráfico.

O objetivo do edital é apoiar projetos direcionados ao desenvolvimento tecnológico com a finalidade de atuar  sobre os problemas da sociedade civil e estabelecer uma relação entre pesquisadores e a sociedade.

O coordenador da proposta deve ter vinculo com o IF Sudeste MG e deverá haver, obrigatoriamente, interação com a sociedade civil. O projeto deverá ser realizado em até 18 meses.

As inscrições deverão ser realizadas até 26 de março pelo coordenador da proposta.

Outras informações e edital em: https://inovare.ifsudestemg.edu.br/ na Aba Editais – Editais abertos
Dúvidas podem ser sanadas pelo e-mail apoio.pesquisa@ifsudestemg.edu.br

Energias renováveis acenam com oportunidades para os pequenos negócios

Sebrae Minas oferece consultorias tecnológicas e articula ações e políticas públicas para o desenvolvimento do setor, beneficiando as micro e pequenas empresas

O Sebrae Minas está oferecendo consultoria especializada a empresários de Micro e Pequenas Empresas (MPE) interessados na geração de energia solar fotovoltaica para consumo próprio. O serviço inclui orientação para o planejamento de usinas fotovoltaicas e tem custo subsidiado pelo programa de consultoria tecnológica do Sebrae (Sebraetec), em parceria com a Codemig, que cobre até 70% do valor do projeto. Informações: 0800 570 0800.

A consultoria abrange um Estudo de Viabilidade Técnica e Econômica Solar (EVTE), que reúne informações sobre eficiência energética, adaptação de infraestrutura para geração de energia solar, avaliação do potencial para geração de energia solar térmica, usinas fotovoltaicas individuais e coletivas e indicações de integradores de usinas. “A implantação de micro e mini usinas de geração distribuída, de forma individual ou consorciada, possibilita o aumento da eficiência energética dos pequenos negócios, diminuindo custos de uma forma sustentável”, destaca o analista do Sebrae Minas João Paulo Palmieri.

Além de oferecer consultoria tecnológica, o Sebrae Minas articulou, junto ao BDMG e a instituições da cadeia produtiva, a criação de uma linha de crédito com taxas reduzidas para as MPE interessadas em investir em energia fotovoltaica. “O objetivo é criar condições para que os empresários paguem os financiamentos com os ganhos financeiros obtidos na redução das contas de energia elétrica”, explica Palmieri.

A linha especial, chamada BDMG Solar Fotovoltaico, está em período de implantação pelo BDMG, em modelo de projeto piloto com clientes selecionados pelo banco. “O limite de crédito vai variar entre 5% e 25% do faturamento da empresa dos últimos 12 meses, com um teto de R$ 700 mil. O prazo de financiamento pode chegar a até 60 meses e as taxas serão a partir de 1,19% ao mês”, informa o analista.

Potencial

A energia solar fotovoltaica representa, hoje, apenas 0,02% da oferta energética do país, enquanto a energia hidráulica, gerada pelas hidrelétricas, responde por 65% do consumo. A previsão é de que, em 2024, a utilização da fotovoltaica salte para 3,3%, o que significaria um aumento 200 vezes superior ao patamar atual.

Para se ter uma ideia do potencial brasileiro nesse setor, em um ano, o número de conexões de micro e mini geração de energia tiveram um rápido crescimento. São aproximadamente 17.334 conexões registradas no país em 2017, contra as 5.040 ligações registradas na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em 2016, um crescimento de 244% em um ano.

“Essas conexões representam uma potência instalada de 190.019 kW, “quantidade suficiente para subsidiar, em média, a demanda de energia de 8 mil pequenas indústrias”, exemplifica Palmieri. Minas Gerais é o estado com o maior número de micro e mini geradores, com 3.857 conexões, seguido de São Paulo (3.334) e Rio Grande do Sul (2.028).

Inserção competitiva

A inserção competitiva e sustentável dos pequenos negócios mineiros na cadeia de geração distribuída de energia solar fotovoltaica é alvo de uma série de ações cooperadas entre o Sebrae Minas, o Governo do estado e a Fiemg.

Um protocolo de intenções assinado pelo Sebrae, Fiemg/Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes), em abril do ano passado, prevê iniciativas em conjunto para o desenvolvimento do setor energético no estado. “Essa soma de esforços visa, inclusive, à construção de políticas públicas específicas para o fortalecimento do setor energético e suas cadeias produtivas no estado”, diz Palmieri.

Oportunidades

  •         A área menos ensolarada do Brasil é mais ensolarada que a mais ensolarada da Alemanha, um dos países líderes no crescimento deste tipo de energia.
  •         Grandes empresas de energia que atuam na geração centralizada estão abrindo um novo modelo de negócio para a geração distribuída a partir da fonte fotovoltaica.
  •         Neste modelo, precisarão desenvolver uma rede de pequenos negócios para executarem em seu nome serviços de instalação, montagem, operação e manutenção de mini e micro usinas.
  •         Grandes distribuidoras de energia estão abrindo empresas de consultoria em eficiência energética, que trarão novas oportunidades para a subcontratação de pequenos negócios.
  •         O desenvolvimento de Redes Elétricas Inteligentes no país sinaliza uma gama de oportunidades de projetos de encadeamento com grandes empresas que estão precisando desenvolver sua cadeia de fornecimento para modernização das redes elétricas.

Este material foi produzido pela Agência Sebrae de Notícias e reproduzido pelo núcleo de comunicação do GDI-Mata