Juiz de Fora recebe palestra sobre Arranjos Produtivos Locais

Na próxima sexta-feira (1), o Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação da Zona da Mata (GDI-Mata) juntamente com a Federação das Industrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) vai realizar uma palestra gratuita com a economista Alice Machado, para expor sobre os Arranjos Produtivos Locais da Zona da Mata Mineira. O encontro será realizado ás 10 horas na sede da FIEMG Juiz de Fora, que fica localizada na Av. Garcia Rodrigues Paes, 12395, no Bairro Industrial.

O objetivo é debater quais são os Arranjos Produtivos Locais em operação e potenciais na Zona da Mata Mineira e quais os caminhos para fortalece-los, já que são uma perspectiva para a economia regional, um desafio para as instituições de ensino e pesquisa e um horizonte de emprego e renda para a população da Mata. As inscrições podem ser confirmadas através do email comunicacao@gdimata.com.br

Convite Palestra APL's

Juiz de Fora sedia Conferência de Inovação e Desenvolvimento para a Zona da Mata Mineira

Evento acontece nos dias 22 e 23 de agosto, no Gran Victory Hotel

 

A importância da inovação no processo de desenvolvimento regional, a partir da interação entre os segmentos acadêmico e empresarial, será abordada na Conferência de Inovação e Desenvolvimento para a Zona da Mata Mineira (CONIDE), que acontecerá nos dias 22 e 23 de agosto, em Juiz de Fora. O evento pretende convergir, em um mesmo espaço, diversas visões sobre o desenvolvimento socioeconômico, promovendo debate e sinalizando perspectivas de aplicação na realidade local. Promovida pelo Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI Mata), por meio de entidades integrantes, a CONIDE acontecerá no Gran Victory Hotel, localizado na Avenida Presidente Itamar Franco, 3.800, bairro Cascatinha.

A programação inclui painéis, palestras e sessões temáticas dos grupos de trabalho do GDI Mata: “Agronegócio”, “Comércio”, “Indústria”, “Serviços” e “Turismo”, reunindo pessoas com experiência de mercado e outras com atuação acadêmica, para debater a inovação nos diversos setores e os impactos no mercado de trabalho e no desenvolvimento urbano. Para os organizadores, o evento é uma oportunidade para empresários estabelecerem parcerias com pesquisadores, de forma a utilizar a inovação para o avanço dos negócios, além de indicar caminhos para a estruturação das cidades de forma mais inteligente, que aproxime o poder público do cidadão.

Na terça-feira, 22, o evento terá início às 14 horas, com o painel “Inovação na esfera pública e na iniciativa privada”, apresentado por Caetano Christophe Penna, doutor em Estudos de Política de Ciência e Tecnologia, e Fábio Veras de Souza, doutor em Direito Constitucional. Às 15h45, sessões paralelas dos grupos de trabalho terão a participação de José Maria Jardim da Silveira, doutor em Engenharia Agronômica (Agronegócio); Ricardo Lourenço, presidente do Grupo Lupin no Brasil, e Jadir Vieira, diretor executivo da Medquímica (Indústria); Fabrício Soares, administrador e especialista em Finanças (Serviços); e Rafael Oliveira, superintendente da Secretaria de Estado de Turismo (Turismo).

A programação seguirá com o painel “A nova economia e os impactos no mercado de trabalho”, com Fernanda Schröder, gerente nacional de carreiras da DeVry Educacional, e Débora Marques, gerente de Inovação e Transferência de Tecnologia do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (Critt/UFJF).

Às 20 horas, Paulo Roberto Haddad ministrará palestra de abertura. Ministro da Fazenda durante a presidência de Itamar Franco, Haddad é formado em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com curso de especialização em Planejamento Econômico. Foi fundador e primeiro diretor do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da UFMG e autor de diversos livros e artigos em revistas especializadas no Brasil e exterior. Exerceu cargos de secretário de Planejamento e da Fazenda do Governo de Estado de Minas Gerais e de diretor de Planejamento Econômico da Fundação João Pinheiro.

Na quarta-feira, 23, a CONIDE terá início às 14 horas, com o painel “Smartcities e as parcerias público-privadas”, com a participação do vice-presidente do Instituto Smart City Business América, Felipe Fulgêncio, e do subsecretário de Tecnologia da Informação da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno da Prefeitura de Manaus (AM), Eudo de Lima Assis. Às 15h45, as sessões paralelas serão intermediadas por Paulo do Carmo Martins, chefe-geral da Embrapa Gado de Leite (Agronegócio); Jovino Campos, fundador e CEO do Grupo Bahamas (Comércio); Carlos Gadelha, doutor em Economia (Indústria); Guilherme Bastos, diretor da Cedimagem (Serviços); e Patrícia Moreira, consultora da Confederação Nacional da Indústria – CNI (Turismo).

Inovação e Desenvolvimento na Zona da Mata Mineira” será tema de painel com a participação de Fernando Salgueiro Perobelli, economista e professor-associado da UFJF, e Rubens Amaral, gerente de Planejamento do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), às 19h15. Logo após, o painel “Startups e tecnologia” terá a presença de Felipe Mariani de Paula, analista e desenvolvedor de projetos de investimento em startups de base tecnológica na Fundep Participações (Fundepar MG), de Gian Meneses, empreendedor responsável pela tecnologia e desenvolvimento das plataformas de operação do “Qranio” e de Silvana Braga, diretora geral do SEED – Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development e do SIMI – Sistema Mineiro de Inovação, ambos programas do Governo de Minas que tem o objetivo de transformar Minas Gerais no maior polo de empreendedorismo e inovação da América Latina.

Realizada pelo GDI Mata, por meio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Conide tem o patrocínio da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), BDMG, Lanetwork Serviços de Rede e Informática, Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Fadepe), Secretaria de Estado Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais – SEEDIF, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – SEDECTES, Caixa Econômica Federal e Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). Apoio: Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região (ADJFR), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), CIMO Engenharia e Soluções Ambientais. Promoção: Rádio Itatiaia e TV Integração e produção-executiva Partner Produções.

A CONIDE é voltada para prefeituras e secretarias; gestores municipais, estaduais e federais; empresários, engenheiros, arquitetos, urbanistas, advogados, consultores, planejadores e pensadores de organizações comprometidas com o desenvolvimento e inovação; fundos de investimentos, banco financiadores e organismos de fomento; investidores; entidades de classe e universidades públicas e privadas.

Sobre o GDI Mata

Criado em 2016, com a proposta de conectar e direcionar um trabalho cada vez mais colaborativo entre universidades, instituições de pesquisa e empresas no âmbito regional, o Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI Mata), é uma união de diversas entidades, instituições, associações e organizações representativas em uma rede, com o objetivo de estabelecer um novo horizonte na evolução econômica e social para Juiz de Fora e região da Zona da Mata Mineira.

Serviço:

CONFERÊNCIA DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PARA A ZONA DA MATA MINEIRA (CONIDE)

DATA: 22 e 23 de agosto de 2017

LOCAL: Gran Victory Hotel (Antigo Independência Trade Hotel)

Av. Itamar Franco, 3.800, Cascatinha, Juiz de Fora, MG

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES:

www.conide.com.br

facebook.com/conidezm

Telefones: (32) 3082-8900 / 99982-7375

Conferência sobre Inovação e Desenvolvimento na Zona da Mata abre inscrições para submissão de trabalhos científicos

Visando contemplar ideias que se relacionem com inovação e desenvolvimento, a Conferência de Inovação e Desenvolvimento para a Zona da Mata Mineira (Conide), abre o período de inscrições para a submissão de trabalhos científicos. Organizado pelo Grupo de Trabalho, Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI Mata), a iniciativa tem o objetivo de difundir conhecimentos e conectar ideias e pessoas à oportunidades de negócio e colaboração.

Os trabalhos, em formato pôster, devem se enquadrar dentro de um dos seguintes temas:

  •         Desenvolvimento: indicadores econômicos, arranjos produtivos locais, atividades econômicas relacionadas ao agronegócio, indústria, serviço, comércio e turismo, desenvolvimento tecnológico, desenvolvimento regional.
  •         Inovação: inovações tecnológicas em produtos ou processos, inovações em serviços, marketing, modelos de negócio relacionados ao agronegócio, indústria, serviço, comércio e turismo.

A proposta deve ser enviada em formato PDF para o e-mail poster@conide.com.br. até o dia 10 de julho. Serão selecionados até 100 trabalhos e o resultado final será divulgado em 1º de agosto.

Datas importantes:

Submissão de trabalhos: 5 de junho a 10 de julho de 2017.

Resultado da avaliação: 1º de agosto de 2017.

Apresentação do pôster: 22 e 23 de agosto de 2017

Consulte o regulamento e inscrições no site: www.conide.com.br

Para o diretor de Inovação da Universidade Federal de Juiz de Fora e representante da UFJF no GDI Mata, Ignacio Godinho Delgado, o propósito da conferência é intensificar a sensibilização dos agentes públicos e privados que estão associados à inovação para uma colaboração mais intensa e permanente. “É uma oportunidade para a Universidade e as instituições parceiras apresentarem suas expertises e, ao mesmo tempo, para os agentes econômicos da cidade identificarem nesses conhecimentos, o atendimento de suas demandas”.

O Conide acontecerá nos dias 22 e 23 de agosto, no Gran Victory Hotel em Juiz de Fora, e contará com palestras, painéis e sessões de discussão com a participação de pesquisadores e profissionais atuantes em diversas áreas, como agronegócio, turismo, comércio, indústria e serviços. Toda a programação já está disponível e pode ser acessada aqui.

Sobre o GDI

As ações do GDI Mata são definidas em reuniões mensais das entidades que o constituem e das atividades dos Grupos Temáticos, sob supervisão da Coordenação Geral, composta pela Embrapa, IF Sudeste MG, Prefeitura de Juiz de Fora, Sebrae e UFJF, que se reúne semanalmente. O grupo também conta em sua operação com colaboradores lotados nos setores de Comunicação e Marketing e Tecnologia da Informação do Critt/UFJF.

Mais informações: 2102-3435 (Secretaria da Diretoria de Inovação)

Entidades se reúnem após cinco meses de trabalho para repassar avanços em prol do desenvolvimento econômico

As entidades que integram o Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata) se reuniram na última sexta-feira (5) para a segunda Reunião Geral em 2017. Na ocasião, a Coordenação Geral apresentou um relatório com todas as atividades realizadas pelo Grupo nos meses de fevereiro a abril e anunciou a Conferência de Inovação e Desenvolvimento para a Zona da Mata Mineira (Conide), bem como o envio de uma Proposta de Trabalho à organização Comunitas para elaboração de um Planejamento Estratégico para Juiz de Fora.

Na ocasião, o Secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, João Mattos, destacou a consolidação do Grupo, que está prestes a completar um ano de existência, bem como a demanda nacional por iniciativas semelhantes. “Vendo o diálogo entre as articulações estratégicas dos Grupos Temáticos (GTs), é evidente que o GDI veio para ficar. Além disso, o interesse de outros municípios em se engajar nessa proposta revela que a vocação do grupo extrapola os limites regionais”, enfatizou.

Representantes dos Grupos Temáticos (Agronegócio, Comércio, Indústria, Serviços e Turismo) apresentaram ainda as ações estratégicas planejadas e em andamento para cada setor. O evento foi também uma oportunidade para a apresentação de dois novos integrantes do Grupo: a Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Fadepe) e a Prefeitura Municipal de São João Nepomuceno, além do retorno da Liga das Empresas Juniores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

 

Conide

Visando estimular ainda mais a proximidade entre o ambiente acadêmico e o setor produtivo, de forma a gerar negócios e inovação, O GDI-Mata planeja realizar, em agosto deste ano, a Conferência de Inovação e Desenvolvimento para a Zona da Mata (Conide). O evento, cuja programação será divulgada em breve, trará pesquisadores, empresários e especialistas de todo o Brasil para discutir boas práticas, propostas e novidades que possam ser aplicadas no incremento à economia regional.

Nesse sentido, a agenda vem sendo pensada de forma a congregar diferentes perspectivas e experiências, conforme destaca o destaca o Diretor de Inovação da UFJF, Ignacio Delgado. “Com essa iniciativa, reforçamos o papel de articulação do GDI-Mata na identificação de demandas da sociedade, proposição de ações e aproximação com as entidades executoras, de forma a provocar um crescimento sustentável dentro das vocações econômicas da região e tornar a inovação um instrumento desse processo”.

 

Trabalho em rede

O GDI-Mata é uma iniciativa oriunda de uma articulação iniciada em junho deste ano e é aberta à participação e colaboração de organismos e entidades empenhados no desenvolvimento regional. Seu objetivo é a revitalização da economia da Zona da Mata mineira, por meio da cooperação das instituições de ensino e pesquisa com o poder público, entidades e setores empresariais, visando à elevação da capacidade e da disposição das empresas da região para inovar. Com isso, o Grupo espera favorecer o desenvolvimento sustentável e o bem estar social.

Em julho do ano passado, a UFJF, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) e outras nove entidades assinaram uma Portaria conjunta e uma Carta de Intenções, oficializando a criação do Grupo. Desde então, as entidades que forma a rede do Grupo vem trabalhando organizadas em cinco áreas temáticas: Agronegócio, Comércio, Indústria, Serviços e Turismo; e viabilizando, por meio do Portal de Negócios e Inovação lançado em outubro, parcerias e convênios entre setor produtivo e instituições de pesquisa da região.
Outras informações: (32) 2102-3425 (Núcleo de Comunicação do GDI-Mata)

Workshop em Juiz de Fora discutirá potencial mercadológico da cultura da Macaúba na região

A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Gado de Leite) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater MG), realizará, na próxima semana, o Workshop “A Cultura da Macaúba: aspectos produtivos, ambientais e mercadológicos voltados para a região da Zona da Mata Mineira”. O evento é gratuito e acontece no dia 27, a partir das 8h15, no Auditório José Aroeira, na Embrapa Gado de Leite, localizada na Rua Eugênio do Nascimento, 610 – Bairro Dom Bosco.

Destinado a produtores rurais, profissionais das áreas agrícolas, biológicas, bioquímica e ambientais, lideranças políticas e estudantes, o evento tem como objetivo apresentar e discutir a cultura da macaúba, seus aspectos agronômicos e o potencial mercadológico na Zona da Mata mineira. A programação inclui palestras e mesa redonda com técnicos, especialistas e doutores. O Workshop conta com o apoio do Governo de Estado de Minas Gerais, Emater-MG, Universidades Federais de Juiz de Fora, Viçosa e Lavras, Grupo de Trabalho, Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata), Ubrabio, Gol Linhas Aéreas e Curcas Diesel Brasil.

Sobre a macaúba

A cultura da macaúba, palmeira nativa do Cerrado e Mata Atlântica, apresenta uma elevada produtividade na fabricação de óleos e biomassa proteica e se apresenta como uma alternativa em processos de reflorestamentos, compensações, recuperação de áreas degradadas e aumento da recarga hídrica de mananciais e cursos-d´água, garantindo, ao mesmo tempo, a recuperação ambiental e o aumento da renda média das propriedades rurais. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, João de Matos, destaca a importância do evento para atender à demanda dos representantes do setor do agronegócio.

“Vemos a possibilidade de o projeto de implantação de um centro produtor de macaúba na Zona da Mata fazer com que produtores rurais possam auxiliar na preservação de mananciais em suas propriedades e aumentar a renda com subprodutos extraídos, que podem ser matéria-prima para a produção de alimentos, cosméticos, produção de energia e combustíveis renováveis”. O projeto de implantação de um centro produtor de macaúba e o desenvolvimento de sua cadeia produtiva na região surgiu a partir da “Agenda de Desenvolvimento da Zona da Mata”, instituída em 2011, formada por lideranças empresariais, políticas e sociedade civil da Zona da Mata, como forma de intensificar o desenvolvimento socioeconômico regional.

“Em 2013, a Prefeitura de Juiz de Fora ratificou seu compromisso institucional com a Agenda e com o desenvolvimento regional, criando em sua estrutura uma Coordenação de Projetos. Foram, então, elencados projetos estratégicos que favorecem o desenvolvimento da região, como é o caso o projeto da macaúba, que tem por objetivo central diversificar e fortalecer as atividades agropecuárias na Zona da Mata a partir dos princípios da sustentabilidade”, explica o coordenador da Agenda, Jackson Fernandes.

Integração com o Programa Produtor de Águas

O secretário de Meio Ambiente, Luis Claúdio Santos Pinto, explica que “a iniciativa do projeto sobre a macaúba é uma derivação do Pagamento por Serviços Ambientais, lei de origem do Executivo, que visa a estimular os produtores no trato sustentável e econômico de suas propriedades, assim como o Programa Produtor de Águas, que busca remunerar os produtores rurais pela proteção dos recursos hídricos, de forma a aumentar e melhorar a qualidade da água no município”.

A lei foi sancionada em 2016, criando as bases legais para implantação do Programa, destinado a estabelecer ações que visam a melhorar a qualidade e elevar a geração do volume de água nos mananciais estratégicos: Represa Dr. João Penido e Ribeirão Espírito Santo. Para Jackson Fernandes, a convergência de objetivos observadas entre o Programa Produtor de Águas e o Projeto da Macaúba na Zona da Mata e a integração operacional de ambos projetos criam uma escala capaz de gerar importantes impactos sustentáveis na Zona da Mata e em Minas Gerais. “Pode, inclusive, contribuir significativamente com as metas ambientais assumidas pelo governo brasileiro na ONU, formalizadas no Acordo de Paris e de Marrakesh”, destaca.

Alternativa sustentável para produção de combustíveis renováveis

A qualidade do Projeto da Macaúba na Zona da Mata chamou a atenção da União Brasileira do Biodiesel e do Bioquerosene (Ubrabio), que vem desenvolvendo ações destinadas a viabilizar a produção de bioquerosene de aviação no país, através da “Plataforma Brasileira do Bioquerosene”, como forma de reduzir as emissões de carbono do setor. Durante a Conferência Internacional da Organização da Aviação Civil Internacional (Icao), órgão ligado à Organização das Nações Unidas (ONU) responsável por definir as políticas internacionais do setor, realizada no Canadá, em fevereiro de 2017, a entidade listou e apresentou o Projeto da Macaúba na Zona da Mata, elevando o seu potencial de receber, futuramente, recursos internacionais oriundos do fundo do clima.

Apoiadora do Workshop, a Superintendência de Desenvolvimento Agropecuário da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento tem como uma das atividades prioritárias incentivar ações que tenham como premissa o fortalecimento e a ampliação das atividades inseridas na cadeia produtiva do biodiesel em Minas Gerais. “Entendemos que, por meio do incentivo à inclusão do extrativismo e da inserção da agricultura familiar na cadeia produtiva do biodiesel, daremos maior visibilidade e fomento para a expansão da produção de macaúba”, destaca o coordenador da Agroenergia na Superintendência, Kamil Cheab, também palestrante do evento.

Ele reitera que a implementação e execução de projetos, planos e ações que envolvam a cadeia produtiva da macaúba podem, não só possibilitar a estruturação de informações e tecnologias necessárias para o extrativismo sustentável de maciços naturais, bem como levar ao agricultor as informações necessárias para o manejo adequado da cultura: “Tais iniciativas têm papel fundamental para destacar o potencial da macaúba no conjunto de matérias-primas para a produção de biodiesel no Brasil e dar maior visibilidade aos diversos produtos originados do seu processamento”. O presidente da Curcas Diesel Brasil, Mike Lu, ratifica a importância do Workshop: “Parabenizo a Prefeitura pela iniciativa deste importante evento, orientado para a inserção da região no segmento de biomassa sustentável para produção de biocombustíveis e renováveis. A macaúba é uma das matérias-primas mais promissoras da biodiversidade brasileira e deverá ser o vetor de desenvolvimento sustentável da região”, declara.

Clique aqui e confira a programação completa do workshop.

Outras informações:

(32) 3690-8341 (Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo – Sedettur)

Este material foi produzido pela Assessoria de Comunicação da Sedettur e reproduzido com contribuições do Núcleo de Comunicação do GDI-Mata.

Programação Sebrae Minas Abril: cursos, oficinas e palestras para empreendedores

A partir do dia 3 de abril, o Sebrae Minas preparou uma programação especial para os empreendedores de Juiz de Fora. Serão oferecidas oficinas, consultorias e palestras, além do seminário Empretec (3 a 8/4), do Seminário Food Service – supere os desafios da alimentação fora do lar (25/04) e do curso Bootcamp – empreendedorismo em ação (28 a 30/4). A inscrição para as oficinas, consultorias, cursos e palestras deve ser feita pelos telefones (32) 3257-4708 / 4709 / 0800 570 0800 ou pessoalmente, no ponto de atendimento do Sebrae Minas, em Juiz de Fora.

 

PROGRAMAÇÃO

 

Segunda Empresarial – Palestra: Negócios na Internet

03/04 | 19h às 21h | Gratuita

 

Empretec

03 a 08/04 | 8h às 18h | www.empretecsebraeminas.com.br

 

Oficina: Como elaborar a divulgação de sua empresa

06/04 | 18h às 22h | R$ 30,00

 

Consultorias individuais: Marketing

03 a 07/04 | 9h às 17h | R$ 60,00

 

Oficina: Gestão de pessoas

10 a 12/04 | 9h às 17h | R$ 60,00

 

Consultorias individuais: Como planejar sua empresa

10/04 | 18h às 22h | R$ 30,00

 

Consultorias individuais: Finanças

17 a 20/04 | 18h às 22h | R$ 60,00

 

Oficina MEI: Como comprar melhor dos seus fornecedores

17/04 | 18h às 22h | R$ 30,00

 

Oficina MEI: Aprenda a formar preço de venda

19/04 | 18h às 22h | R$ 30,00

 

Consultorias individuais: Finanças e Marketing

24 a 28/04 | 9h às 17h | R$ 60,00

 

Oficina: Como elaborar plano de negócios

24 e 25/04 | 18h30 às 21h30 | R$ 70,00

 

Seminário Food Service – supere os desafios da alimentação fora do lar

25/04 | 18h às 21h | Gratuito

 

Oficina: Como elaborar pesquisa de mercado

26/04 | 18h às 22h | R$ 30,00

 

Bootcamp – empreendedorismo em ação

28 a 30/04 | 9h às 20h | R$ 200,00

 

Palestra: Como sei MEI na prática

Sextas-feiras | 14h às 17h | Gratuito

 

 

Ponto de Atendimento do Sebrae Minas em Juiz de Fora

Av. Olegário Maciel 436 – Santa Helena

(32) 3257-4708 / 4709 / 0800 570 0800

Reginaldo Arcuri destaca oportunidade para reaquecer a economia regional em palestra promovida pelo GDI-Mata

“A inovação não deve ser um fenômeno que se espera, mas sim um resultado que se produz”, enfatizou o presidente do Grupo FarmaBrasil, Reginaldo Arcuri, ao ministrar a palestra “A indústria farmacêutica nacional: balanço e perspectivas” na noite de ontem (24), a convite do Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata). O evento reuniu representantes do poder público, entidades representativas, empresários do ramo e pesquisadores de diversas áreas para discutir a situação do setor, as políticas a ele dirigidas e seus desdobramentos para o sistema de saúde e a economia brasileira.

Para a secretária municipal de saúde, Elizabeth Jucá, o encontro reforçou a importância de se considerar os impactos diretos e indiretos do desenvolvimento econômico no fortalecimento do sistema de saúde. “É preciso pensar sempre nessa perspectiva. Desenvolvendo a cidade, aumentamos a arrecadação tributária e, consequentemente, direcionamos mais recursos para a área. Além disso, se estimularmos cada vez mais a pesquisa voltada para a indústria farmacêutica, também nos ajudamos localmente, barateando a aquisição de insumos ou mesmo a logística desse processo”, destaca ela.

“Na virada do século XIX para o século XX, Juiz de Fora era um cluster de inovação”, avaliou Arcuri. “Tínhamos excelentes colégios, um sistema financeiro próprio e introdução de tecnologias totalmente disruptivas – tais como a energia hidroelétrica e a telefonia. Somado isso, contávamos com um grupo para um grupo empresarial e um conjunto de profissionais de excelente qualidade, capacitados para operar as indústrias. Durante um breve momento, isso mostrou que podíamos criar inovação e gerar desenvolvimento, um movimento que pode ser reproduzido. Para isso, precisamos de articulação, objetivos, esforço e dedicação”.

Ainda segundo Arcuri, não é necessário criar iniciativas do zero, “mas utilizar as potencialidades das instituições da região e vetorizá-las, fazendo com que a união de forças promova as mudanças necessárias e gere resultados”, opinião reforçada pelo Diretor de Inovação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Ignacio Delgado. Para ele, o evento revelou uma grande capacidade de mobilização que na qual a cidade pode investir, sobretudo na consolidação do Complexo Econômico e Industrial da Saúde (Ceis), envolvendo empresas de medicamentos e de equipamentos médicos, bem como a Universidade, com suas expertises.

“O tema é instigante e o interesse reuniu pesquisadores da Química, Medicina, Farmácia e Biologia. A ocasião deve ser reconhecida, pois provocou o diálogo entre o ambiente acadêmico e um representante de uma indústria farmacêutica de capital nacional que, por meio da inovação, vem conseguindo alcançar uma posição importante no mercado brasileiro e se projetando no internacional”, comenta Delgado. “Essa convergência mostra que a cidade tem uma vocação nessa direção, e que esse pode ser um caminho para a afirmação da economia regional”.

 

Trabalho em rede

O GDI-Mata é uma iniciativa oriunda de uma articulação iniciada em junho deste ano e é aberta à participação e colaboração de organismos e entidades empenhados no desenvolvimento regional. Seu objetivo é a revitalização da economia da Zona da Mata mineira, por meio da cooperação das instituições de ensino e pesquisa com o poder público, entidades e setores empresariais, visando à elevação da capacidade e da disposição das empresas da região para inovar. Com isso, o Grupo espera favorecer o desenvolvimento sustentável e o bem estar social.

Em julho do ano passado, a UFJF, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) e outras nove entidades assinaram uma Portaria conjunta e uma Carta de Intenções, oficializando a criação do Grupo. Desde então, as entidades que forma a rede do Grupo vem trabalhando organizadas em cinco áreas temáticas: Agronegócio, Comércio, Indústria, Serviços e Turismo; e viabilizando, por meio do Portal de Negócios e Inovação lançado em outubro, parcerias e convênios entre setor produtivo e instituições de pesquisa da região.

 

Outras informações: (32) 2102-3435 (Núcleo de Comunicação do GDI-Mata)

Sebrae Minas realiza encontro sobre o ambiente das micro e pequenas empresas

No dia 27 de março, o Sebrae Minas realiza, em Juiz de Fora, o evento Road Show – MPE e as políticas públicas para o desenvolvimento municipal, com o objetivo de trabalhar ações conjuntas com o poder público para a melhoria do ambiente das micro e pequenas empresas (MPE) na região. Em Minas, já são mais de 2 milhões de pequenos negócios, somando-se micro e pequenas empresas (MPE), microempreendedores individuais (MEI) e produtores rurais, que representam, respectivamente, 36%, 36% e 28% desse total. Os dados são do Portal do Empreendedor, do RAIS 2015 e do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) de 2015.

Segundo dados do Sebrae Minas, de fevereiro deste ano, na região da Zona da Mata e Vertentes já são mais de 90 mil MEIs formalizados. Em Juiz de Fora, esse número é de 22.050. Já as micro e pequenas empresas da Zona da Mata e Vertentes somam quase 100 mil, sendo que 24.269 delas são de Juiz de Fora, levando em consideração os setores de comércio (10.395), serviços (10.029), indústria (2.500) e construção civil (1.345). Os dados são do RAIS do Ministério do Trabalho e Emprego de 2015.

O Road Show é voltado para prefeitos, secretários de desenvolvimento ou administração, secretários de educação, assessores e agentes de desenvolvimento de todos os municípios das nove microrregiões participantes. De acordo com o analista do Sebrae Minas, Paulo Veríssimo, o intuito é apresentar aos gestores públicos as ações que podem ser desenvolvidas junto ao Sebrae, a fim de estimular as MPE e fomentar o empreendedorismo, para o desenvolvimento da região.

“Em vários municípios, houve renovação da administração. Nossa proposta é apresentar aos novos gestores e suas equipes as possibilidades de parceria com o Sebrae, com foco no desenvolvimento dos pequenos negócios, no empreendedorismo, nas compras públicas e na desburocratização, por exemplo. Para o município, é uma oportunidade de desenvolvimento de ações em benefício dos empreendedores e das MPE, que representam mais de 99% das empresas da região e do país”, destaca Paulo.

 

Outras informações: (32) 3257-4706 (Sebrae-MG) / juliana.mazzala@sebraemg.com.br

 

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

Juiz de Fora sedia o IV Seminário Internacional de Educação Contemporânea

O IV Seminário Internacional de Educação Contemporânea (SIEC 2017) acontece nos dias 30 e 31 de março e 1º de abril, no Independência Trade Hotel, em Juiz de Fora. Com o tema “Educação contemporânea: empreender para inovar”, o evento reunirá profissionais brasileiros e estrangeiros de renome internacional visando à promoção de um grande debate sobre importantes questões educacionais da atualidade. Entre os nomes confirmados estão o médico, pesquisador e escritor Augusto Cury; e o professor e historiador Leandro Karnal. As inscrições estão abertas e devem ser realizadas no endereço eletrônico www.siecjuizdefora.com.

O SIEC 2017 terá início na quinta-feira, 30, às 17h, com credenciamento e visita aos estandes. Às 20h, Augusto Cury ministrará a palestra magna “O código da inteligência: a excelência emocional e profissional”, aberta a participantes de todas as áreas. Entre os destaques do evento, Cury é um dos autores mais lidos do Brasil, com obras como “O vendedor de sonhos”, “Felicidade roubada”, e “Nunca desista de seus sonhos”. Autor da “Teoria da Inteligência Multifocal”, objeto de estudo em cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado internacionais, o palestrante é membro de honra do Instituto da Inteligência, de Portugal, e diretor da Academia de Inteligência, que oferece treinamento a psicólogos e educadores.

A solenidade de abertura do SIEC 2017 acontecerá na sexta-feira, 31, às 18h30. Às 19h, César Nunes, doutor em Filosofia e História da Educação e mestre em Filosofia da Educação falará sobre “A formação docente e a escola inovadora – a busca por um futuro de possibilidades”. Às 20h30, Osmar Coutinho, graduado em Direito e Ciências Humanas e pós-graduado em Marketing e Propaganda, ministrará a palestra “Educadores motivados e comprometidos transformam alunos em empreendedores do futuro.”

Cinco palestras de grandes nomes da educação contemporânea movimentarão o último dia do evento. Às 8h30, de Portugal, Vitor da Fonseca, doutor Ph.D em Educação Especial e Reabilitação, apresenta a temática “Metacognição, pensamento crítico e criativo”. Às 10h, “Diversidade: dialogando com as diferenças no contexto escolar” é o tema de Eugênio Cunha, doutor em Educação, Psicopedagogo, Jornalista e Pesquisador.

A arte de contar histórias” será tratada por Laura Delgado, Graduada em Letras, com especialização em Literatura, às 14h. Logo após, às 15h, José Moran, doutor em Comunicação, falará sobre “A importância de uma boa aula: como utilizar materiais didáticos digitais e planejar aulas mais interativas e criativas?”.

Um dos mais aclamados palestrantes da atualidade, Leandro Karnal encerrará a programação do SIEC 2017 com o tema “Educação e Sociedade – o perfil do educador da sociedade contemporânea”. Autor ou coautor de mais de dez livros, alguns entre os mais vendidos do Brasil, Karnal é membro do conselho editorial de revistas científicas do país, além de colunista do jornal Estadão.

Sobre o evento

No último ano, com a temática “Educação e valores no mundo contemporâneo: a relação entre o sujeito e as novas redes de aprendizagem”, o Seminário Internacional de Educação Contemporânea reuniu cerca de 800 pessoas – entre docentes, discentes, gestores, técnicos, especialistas, psicólogos, fonoaudiólogos, médicos e comunidades em geral – com a abordagem de temas sobre gestão, neuroeducação e tecnologia: uma oportunidade de divulgar, discutir e refletir assuntos relevantes para a melhoria da educação.

Em sua quarta edição, o evento reunirá atores do processo ensino-aprendizagem, possibilitando um maior desenvolvimento intelectual, cultural e crítico para o enfrentamento dos desafios educacionais inerentes ao novo século. O evento é uma realização Delage Treinamento em Educação e Culturare Arte e Educação; produção executiva da Partner Produções; com patrocínio da Rede de Ensino Apogeu; e apoio da Secretaria Regional de Educação do Governo de Minas; Prefeitura de Juiz de Fora, por meio da Secretaria de Educação; Gráfica Tamoio; Rádio Itatiaia FM; e Miletur Agência de Viagens.

Outras informações: www.siecjuizdefora.com e facebook.com/siec

GDI Mata reúne pesquisadores da UFJF para discutir ações de fortalecimento da indústria de saúde

Em reunião realizada na manhã de hoje, 10, o Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI Mata) debateu duas propostas de ações, esboçadas pelo Grupo Temático (GT) da Indústria, com representantes de oito programas de Pós-Graduação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). A discussão aconteceu no Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt/UFJF) e o objetivo de ambas as proposições é aproximar as pesquisas desenvolvidas no âmbito acadêmico por esses grupos e as empresas do segmento industrial da saúde.

Ao apresentar as informações que o GT levantou no processo de elaboração das ações, o Diretor de Inovação da UFJF, Ignacio Delgado, explicou que os principais setores produtivos vinculados à saúde são a indústria farmacêutica e a de equipamentos médicos e odontológicos, que têm, por característica, sem intensivos em tecnologia. “É um aspecto que exige e incorpora conhecimento de alto nível, que, por sua vez, é desenvolvido nas instituições de pesquisa, especialmente universidades”.

“Nesse nicho, o desenvolvimento de produtos acontece por meio da interação contínua com a prática clínica e a rede de serviços”, pontua ele. “Como a pesquisa de alto nível nas Universidades é conduzida por pesquisadores que estão, via de regra, ligados a programas de Pós-Graduação, é essencial que estes assumam a coordenação das iniciativas que estamos tentando desenvolver enquanto instituição, no sentido de fortalecer o Complexo Econômico e Industrial da Saúde (Ceis)”.

 

Somando esforços

A primeira proposta discutida consiste em um Seminário sobre Saúde e Inovação, a ser realizado no final do primeiro semestre deste ano, e que discutirá temas como incorporação tecnológica em saúde; pesquisa clínica; política industrial e tecnológica para o Ceis; e propriedade intelectual e inovação na área da saúde. Para organizar o evento, foi decidido que uma comissão organizadora será formada entre os coordenadores dos Programas de Pós-Graduação (PPGs) envolvidos.

Já a segunda ideia é a Mostra de Pesquisa e Inovação em Saúde, planejada para ocorrer no final do segundo semestre, na qual serão apresentadas as expertises existentes nas instituições de pesquisa de Juiz de Fora relacionadas à área. Para tanto, será realizado um mapeamento preliminar entre os pesquisadores locais, a fim de identificar potencialidades entre os trabalhos acadêmicos. Já na reunião de hoje, foi definido que esse levantamento será coordenado pela professora da Pós-Graduação em Modelagem Computacional, Priscila Goliatt.

“É fundamental que a Pós-Graduação acentue sua interação com o universo empresarial, de forma a atuarem como emuladores de uma eventual redefinição da agenda de pesquisa que é desenvolvida em diferentes esferas da vida acadêmica”, ressalta Delgado. “Não de forma a diminuir o peso da pesquisa básica, mas para também conectá-la às demandas da sociedade brasileira. Os PPGs, tendo em mira seu próprio desenvolvimento e sua potencial contribuição à economia regional, têm muito a ganhar se envolvendo mais diretamente nesse tipo de iniciativa. Esse é um jogo de soma positiva, no qual todos vão se beneficiar”, enfatiza.