Juiz de Fora sedia Conferência de Inovação e Desenvolvimento para a Zona da Mata Mineira

Evento acontece nos dias 22 e 23 de agosto, no Gran Victory Hotel

 

A importância da inovação no processo de desenvolvimento regional, a partir da interação entre os segmentos acadêmico e empresarial, será abordada na Conferência de Inovação e Desenvolvimento para a Zona da Mata Mineira (CONIDE), que acontecerá nos dias 22 e 23 de agosto, em Juiz de Fora. O evento pretende convergir, em um mesmo espaço, diversas visões sobre o desenvolvimento socioeconômico, promovendo debate e sinalizando perspectivas de aplicação na realidade local. Promovida pelo Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI Mata), por meio de entidades integrantes, a CONIDE acontecerá no Gran Victory Hotel, localizado na Avenida Presidente Itamar Franco, 3.800, bairro Cascatinha.

A programação inclui painéis, palestras e sessões temáticas dos grupos de trabalho do GDI Mata: “Agronegócio”, “Comércio”, “Indústria”, “Serviços” e “Turismo”, reunindo pessoas com experiência de mercado e outras com atuação acadêmica, para debater a inovação nos diversos setores e os impactos no mercado de trabalho e no desenvolvimento urbano. Para os organizadores, o evento é uma oportunidade para empresários estabelecerem parcerias com pesquisadores, de forma a utilizar a inovação para o avanço dos negócios, além de indicar caminhos para a estruturação das cidades de forma mais inteligente, que aproxime o poder público do cidadão.

Na terça-feira, 22, o evento terá início às 14 horas, com o painel “Inovação na esfera pública e na iniciativa privada”, apresentado por Caetano Christophe Penna, doutor em Estudos de Política de Ciência e Tecnologia, e Fábio Veras de Souza, doutor em Direito Constitucional. Às 15h45, sessões paralelas dos grupos de trabalho terão a participação de José Maria Jardim da Silveira, doutor em Engenharia Agronômica (Agronegócio); Ricardo Lourenço, presidente do Grupo Lupin no Brasil, e Jadir Vieira, diretor executivo da Medquímica (Indústria); Fabrício Soares, administrador e especialista em Finanças (Serviços); e Rafael Oliveira, superintendente da Secretaria de Estado de Turismo (Turismo).

A programação seguirá com o painel “A nova economia e os impactos no mercado de trabalho”, com Fernanda Schröder, gerente nacional de carreiras da DeVry Educacional, e Débora Marques, gerente de Inovação e Transferência de Tecnologia do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (Critt/UFJF).

Às 20 horas, Paulo Roberto Haddad ministrará palestra de abertura. Ministro da Fazenda durante a presidência de Itamar Franco, Haddad é formado em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com curso de especialização em Planejamento Econômico. Foi fundador e primeiro diretor do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da UFMG e autor de diversos livros e artigos em revistas especializadas no Brasil e exterior. Exerceu cargos de secretário de Planejamento e da Fazenda do Governo de Estado de Minas Gerais e de diretor de Planejamento Econômico da Fundação João Pinheiro.

Na quarta-feira, 23, a CONIDE terá início às 14 horas, com o painel “Smartcities e as parcerias público-privadas”, com a participação do vice-presidente do Instituto Smart City Business América, Felipe Fulgêncio, e do subsecretário de Tecnologia da Informação da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno da Prefeitura de Manaus (AM), Eudo de Lima Assis. Às 15h45, as sessões paralelas serão intermediadas por Paulo do Carmo Martins, chefe-geral da Embrapa Gado de Leite (Agronegócio); Jovino Campos, fundador e CEO do Grupo Bahamas (Comércio); Carlos Gadelha, doutor em Economia (Indústria); Guilherme Bastos, diretor da Cedimagem (Serviços); e Patrícia Moreira, consultora da Confederação Nacional da Indústria – CNI (Turismo).

Inovação e Desenvolvimento na Zona da Mata Mineira” será tema de painel com a participação de Fernando Salgueiro Perobelli, economista e professor-associado da UFJF, e Rubens Amaral, gerente de Planejamento do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), às 19h15. Logo após, o painel “Startups e tecnologia” terá a presença de Felipe Mariani de Paula, analista e desenvolvedor de projetos de investimento em startups de base tecnológica na Fundep Participações (Fundepar MG), de Gian Meneses, empreendedor responsável pela tecnologia e desenvolvimento das plataformas de operação do “Qranio” e de Silvana Braga, diretora geral do SEED – Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development e do SIMI – Sistema Mineiro de Inovação, ambos programas do Governo de Minas que tem o objetivo de transformar Minas Gerais no maior polo de empreendedorismo e inovação da América Latina.

Realizada pelo GDI Mata, por meio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Conide tem o patrocínio da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), BDMG, Lanetwork Serviços de Rede e Informática, Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Fadepe), Secretaria de Estado Extraordinária de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais – SEEDIF, Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior – SEDECTES, Caixa Econômica Federal e Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig). Apoio: Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região (ADJFR), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), CIMO Engenharia e Soluções Ambientais. Promoção: Rádio Itatiaia e TV Integração e produção-executiva Partner Produções.

A CONIDE é voltada para prefeituras e secretarias; gestores municipais, estaduais e federais; empresários, engenheiros, arquitetos, urbanistas, advogados, consultores, planejadores e pensadores de organizações comprometidas com o desenvolvimento e inovação; fundos de investimentos, banco financiadores e organismos de fomento; investidores; entidades de classe e universidades públicas e privadas.

Sobre o GDI Mata

Criado em 2016, com a proposta de conectar e direcionar um trabalho cada vez mais colaborativo entre universidades, instituições de pesquisa e empresas no âmbito regional, o Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI Mata), é uma união de diversas entidades, instituições, associações e organizações representativas em uma rede, com o objetivo de estabelecer um novo horizonte na evolução econômica e social para Juiz de Fora e região da Zona da Mata Mineira.

Serviço:

CONFERÊNCIA DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PARA A ZONA DA MATA MINEIRA (CONIDE)

DATA: 22 e 23 de agosto de 2017

LOCAL: Gran Victory Hotel (Antigo Independência Trade Hotel)

Av. Itamar Franco, 3.800, Cascatinha, Juiz de Fora, MG

INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES:

www.conide.com.br

facebook.com/conidezm

Telefones: (32) 3082-8900 / 99982-7375

Macaúba é tema de seminário sobre desenvolvimento sustentável regional

A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realizará na sexta-feira, 14, o seminário “Desenvolvimento Sustentável na Zona da Mata, Vertentes e Sul de Minas: Ações de Recuperação de Áreas Degradadas e Integração do Agronegócio Regional na BioEconomia – O Projeto Macaúba”. O evento faz parte das atividades do protocolo de intenções assinado entre os municípios da região da Zona da Mata, Sul e Vertentes de Minas Gerais, com o objetivo de viabilizar a implantação do projeto de recuperação de áreas degradadas, utilizando, entre outras espécies nativas, a macaúba, como forma de promoção do desenvolvimento sustentável regional. O evento acontecerá a partir das 9 horas, na Escola de Governo (Rua Maria Perpétua, 72, 3º andar, Bairro Ladeira).

Além de garantir o alinhamento técnico sobre o projeto com representantes das prefeituras da região, no seminário será proposta a elaboração de um plano de trabalho destinado à implantação da lei do pagamento por serviços ambientais nos municípios signatários do protocolo de intenções e a elaboração dos planos regionais de Regularização Ambiental (PRA) e de Recuperação de Áreas Degradadas (Prad), instrumentos fundamentais para habilitar a região a receber aportes de fundos nacionais e internacionais, público e privados, que financiam projetos que têm em seu escopo a recuperação e preservação ambiental.

O evento contará com palestrantes da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), das secretarias Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Casa Civil), de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), da Petrobras e das universidades federais de Juiz de Fora e Viçosa, entre outros. Confira a programação completa no anexo.

Sobre o projeto

Em abril, workshop realizado pela PJF, em parceria com as empresas Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Gado de Leite) e de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater MG), reuniu produtores rurais, profissionais das áreas agrícolas, biológicas, bioquímica e ambientais, lideranças políticas e estudantes para discutirem aspectos produtivos, ambientais e mercadológicos da macaúba, voltados para a região da Zona da Mata. Durante o evento foram apresentadas informações, pesquisas e experiências de sucesso relacionadas ao fruto, do cultivo à indústria.

Em junho, prefeituras da região assumiram apoio ao projeto, com a assinatura do protocolo de intenções, no Parque Natural Municipal da Lajinha. O projeto de implantação do centro regional de produção de macaúba e o desenvolvimento de sua cadeia produtiva na região surgiu a partir da “Agenda de Desenvolvimento da Zona da Mata”, instituída em 2011, formada por lideranças empresariais, políticas e sociedade civil, como forma de intensificar o desenvolvimento socioeconômico da região.

Em 2013, a PJF ratificou seu compromisso institucional com a Agenda e com o desenvolvimento regional, criando em sua estrutura a coordenação de projetos e elencando propostas estratégicas que favoreçam o desenvolvimento da região, como é o caso do projeto da macaúba, cuja implantação garantirá, ao mesmo tempo, a recuperação e preservação do bioma, a melhoria da qualidade, o aumento do volume da geração hídrica dos mananciais, a dinamização das atividades econômicas e o aumento da geração de empregos e distribuição de renda na Zona da Mata Mineira.

 

Este material foi produzido pelo Portal de Notícias da PJF e reproduzido pelo Núcleo de Comunicação do GDI-Mata.

Workshop de Captação de Recursos reúne mais de 30 representantes de órgãos e entidades da região

No último dia 11, o Sebrae Minas promoveu o Workshop de Captação de Recursos, com apoio do Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata). A ação teve como objetivos instrumentalizar os participantes com noções básicas na construção de projetos focados na captação de recursos e estimular a permanente busca de informações a respeito de fontes de recursos, que possam contribuir para promover o desenvolvimento da região.

Reuniram-se na sede do Sebrae Minas, em Juiz de Fora, 31 representantes de entidades que compõem o GDI-Mata, tais como o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG); o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac); a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), inclusive com colaboradores da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa); o Juiz de Fora e Região Convention & Visitors Bureau; e a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), também com colaboradores do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt).

Durante a capacitação, foram abordados conteúdos como: contexto da captação de recursos no Brasil; conceitos e aplicações sobre captação de recursos; interpretação, leitura de editais e noções básicas sobre a construção de projetos focados na captação de recursos; Sistema de Gestão de Convênios e Contratos de Repasse (Siconv); e captação de recursos para promoção do desenvolvimento da região.

Para a gerente do Departamento de Trabalho, Emprego e Renda da PJF, Leila Cristina Abrahão, a capacitação foi uma oportunidade de integração dos diversos agentes da economia local, como poder público, setor produtivo e instituições de ensino e pesquisa, que potencializa a mobilização de recursos e a construção de ações conjuntas para o desenvolvimento de Juiz de Fora e região. “Foi possível ampliar a possibilidade de um novo olhar, direcionado para o que já existe, como fonte de recursos e para as oportunidades, a partir do compartilhamento de conhecimento e objetivos de cada setor, visando melhores e maiores resultados para o ecossistema empreendedor”.

O workshop foi ministrado por Nilson Borges, consultor credenciado do Sebrae Minas nas áreas de desenvolvimento territorial, legislação aplicada às micro e pequenas empresas e agronegócio. Nilson é instrutor em treinamentos, palestras, seminários e workshops nas diversas áreas administrativas para empresas de direito público e privado. Autor da metodologia Veoma (baseada em processos de qualidade e excelência administrativa), foi coordenador do Comitê Temático de Acesso a Mercados no Fórum Permanente Mineiro das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Fopemimpe) estadual.

 

Este material foi produzido pelo Sebrae Minas e reproduzido com contribuições do Núcleo de Comunicação do GDI-Mata.

Workshop em Juiz de Fora discutirá potencial mercadológico da cultura da Macaúba na região

A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Gado de Leite) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater MG), realizará, na próxima semana, o Workshop “A Cultura da Macaúba: aspectos produtivos, ambientais e mercadológicos voltados para a região da Zona da Mata Mineira”. O evento é gratuito e acontece no dia 27, a partir das 8h15, no Auditório José Aroeira, na Embrapa Gado de Leite, localizada na Rua Eugênio do Nascimento, 610 – Bairro Dom Bosco.

Destinado a produtores rurais, profissionais das áreas agrícolas, biológicas, bioquímica e ambientais, lideranças políticas e estudantes, o evento tem como objetivo apresentar e discutir a cultura da macaúba, seus aspectos agronômicos e o potencial mercadológico na Zona da Mata mineira. A programação inclui palestras e mesa redonda com técnicos, especialistas e doutores. O Workshop conta com o apoio do Governo de Estado de Minas Gerais, Emater-MG, Universidades Federais de Juiz de Fora, Viçosa e Lavras, Grupo de Trabalho, Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata), Ubrabio, Gol Linhas Aéreas e Curcas Diesel Brasil.

Sobre a macaúba

A cultura da macaúba, palmeira nativa do Cerrado e Mata Atlântica, apresenta uma elevada produtividade na fabricação de óleos e biomassa proteica e se apresenta como uma alternativa em processos de reflorestamentos, compensações, recuperação de áreas degradadas e aumento da recarga hídrica de mananciais e cursos-d´água, garantindo, ao mesmo tempo, a recuperação ambiental e o aumento da renda média das propriedades rurais. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, João de Matos, destaca a importância do evento para atender à demanda dos representantes do setor do agronegócio.

“Vemos a possibilidade de o projeto de implantação de um centro produtor de macaúba na Zona da Mata fazer com que produtores rurais possam auxiliar na preservação de mananciais em suas propriedades e aumentar a renda com subprodutos extraídos, que podem ser matéria-prima para a produção de alimentos, cosméticos, produção de energia e combustíveis renováveis”. O projeto de implantação de um centro produtor de macaúba e o desenvolvimento de sua cadeia produtiva na região surgiu a partir da “Agenda de Desenvolvimento da Zona da Mata”, instituída em 2011, formada por lideranças empresariais, políticas e sociedade civil da Zona da Mata, como forma de intensificar o desenvolvimento socioeconômico regional.

“Em 2013, a Prefeitura de Juiz de Fora ratificou seu compromisso institucional com a Agenda e com o desenvolvimento regional, criando em sua estrutura uma Coordenação de Projetos. Foram, então, elencados projetos estratégicos que favorecem o desenvolvimento da região, como é o caso o projeto da macaúba, que tem por objetivo central diversificar e fortalecer as atividades agropecuárias na Zona da Mata a partir dos princípios da sustentabilidade”, explica o coordenador da Agenda, Jackson Fernandes.

Integração com o Programa Produtor de Águas

O secretário de Meio Ambiente, Luis Claúdio Santos Pinto, explica que “a iniciativa do projeto sobre a macaúba é uma derivação do Pagamento por Serviços Ambientais, lei de origem do Executivo, que visa a estimular os produtores no trato sustentável e econômico de suas propriedades, assim como o Programa Produtor de Águas, que busca remunerar os produtores rurais pela proteção dos recursos hídricos, de forma a aumentar e melhorar a qualidade da água no município”.

A lei foi sancionada em 2016, criando as bases legais para implantação do Programa, destinado a estabelecer ações que visam a melhorar a qualidade e elevar a geração do volume de água nos mananciais estratégicos: Represa Dr. João Penido e Ribeirão Espírito Santo. Para Jackson Fernandes, a convergência de objetivos observadas entre o Programa Produtor de Águas e o Projeto da Macaúba na Zona da Mata e a integração operacional de ambos projetos criam uma escala capaz de gerar importantes impactos sustentáveis na Zona da Mata e em Minas Gerais. “Pode, inclusive, contribuir significativamente com as metas ambientais assumidas pelo governo brasileiro na ONU, formalizadas no Acordo de Paris e de Marrakesh”, destaca.

Alternativa sustentável para produção de combustíveis renováveis

A qualidade do Projeto da Macaúba na Zona da Mata chamou a atenção da União Brasileira do Biodiesel e do Bioquerosene (Ubrabio), que vem desenvolvendo ações destinadas a viabilizar a produção de bioquerosene de aviação no país, através da “Plataforma Brasileira do Bioquerosene”, como forma de reduzir as emissões de carbono do setor. Durante a Conferência Internacional da Organização da Aviação Civil Internacional (Icao), órgão ligado à Organização das Nações Unidas (ONU) responsável por definir as políticas internacionais do setor, realizada no Canadá, em fevereiro de 2017, a entidade listou e apresentou o Projeto da Macaúba na Zona da Mata, elevando o seu potencial de receber, futuramente, recursos internacionais oriundos do fundo do clima.

Apoiadora do Workshop, a Superintendência de Desenvolvimento Agropecuário da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento tem como uma das atividades prioritárias incentivar ações que tenham como premissa o fortalecimento e a ampliação das atividades inseridas na cadeia produtiva do biodiesel em Minas Gerais. “Entendemos que, por meio do incentivo à inclusão do extrativismo e da inserção da agricultura familiar na cadeia produtiva do biodiesel, daremos maior visibilidade e fomento para a expansão da produção de macaúba”, destaca o coordenador da Agroenergia na Superintendência, Kamil Cheab, também palestrante do evento.

Ele reitera que a implementação e execução de projetos, planos e ações que envolvam a cadeia produtiva da macaúba podem, não só possibilitar a estruturação de informações e tecnologias necessárias para o extrativismo sustentável de maciços naturais, bem como levar ao agricultor as informações necessárias para o manejo adequado da cultura: “Tais iniciativas têm papel fundamental para destacar o potencial da macaúba no conjunto de matérias-primas para a produção de biodiesel no Brasil e dar maior visibilidade aos diversos produtos originados do seu processamento”. O presidente da Curcas Diesel Brasil, Mike Lu, ratifica a importância do Workshop: “Parabenizo a Prefeitura pela iniciativa deste importante evento, orientado para a inserção da região no segmento de biomassa sustentável para produção de biocombustíveis e renováveis. A macaúba é uma das matérias-primas mais promissoras da biodiversidade brasileira e deverá ser o vetor de desenvolvimento sustentável da região”, declara.

Clique aqui e confira a programação completa do workshop.

Outras informações:

(32) 3690-8341 (Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo – Sedettur)

Este material foi produzido pela Assessoria de Comunicação da Sedettur e reproduzido com contribuições do Núcleo de Comunicação do GDI-Mata.