Proposta foi feita pela a equipe EnergyEasy, formada por seis estudantes mullticampi. O evento, realizado entre os dias 3 e 5 de outubro, proporcionou aos participantes condições de desenvolvimento de projetos e mostrou as vantagens que fomentam o segmento.

Com uma ideia na cabeça e motivados pela necessidade da demanda moderna por serviços e soluções criativas, estudantes do IF Sudeste MG foram provocados a elaborar um projeto de negócio em que a inovação e tecnologia fossem a palavra de ordem. No Desafio das Startups, a equipe EnergyEasy, formada por seis estudantes mullticampi, foi a campeã com a criação de um dispositivo para ser acoplado à palmilha de um calçado, possibilitando a captação de energia elétrica ao caminhar para ser utilizada, por exemplo, no carregamento de um telefone celular.

O evento, realizado entre os dias 3 e 5 de outubro, proporcionou aos participantes condições de desenvolvimento de projetos e mostrou as vantagens que fomentam o segmento. A estudante de Sistemas de Informação do Campus Juiz de Fora, Laís Alves da Silva, integrou a equipe e disse que a escolha da ideia foi baseada em algo simples que proporcionasse um maior impacto na sociedade. “Escolhemos algo que fosse de fácil resolução e que alcançasse o maior número de pessoas. A interação e a troca de ideias entre os estudantes de ouros campi foi o ponto alto do desafio, além, é claro, das lições que tivemos de como consolidar uma ideia e desenvolver projetos”, explica.

As declarações de Laís vão ao encontro do que preconiza o administrador Rafael Gonçalves, membro do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e um dos avaliadores dos projetos apresentados durante o Desafio. “Uma ideia por si só não vale nada. É necessário verificar se há uma necessidade real de mercado. Por isso é importante que as instituições de ensino criem um ecossistema empreendedor, incentivando os estudantes e dando condições para que desenvolva projetos, gerando novos negócios e impulsionando a economia”.

Para a diretora do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia do IF Sudeste MG (Nittec), Flávia Ruback, a proposta do Desafio está alinhada com ações institucionais de capacitação de recursos humanos em empreendedorismo, gestão da inovação, transferência de tecnologia e propriedade intelectual. “Nosso objetivo é fomentar a cultura do empreendedorismo, inovação e geração de startups na comunidade acadêmica, incentivar os alunos a resolverem problemas reais através de soluções criativas, inovadoras e empreendedoras de alto impacto para a sociedade e capacitando a comunidade interna em metodologias e técnicas que contribuam para a geração de startups”.

* Este material foi produzido por Pedro Lima da Ascom/Reitoria do IF Sudeste e reproduzido pelo núcleo de comunicação do GDI-Mata