A Mata Mineira juntamente com o Campo das Vertentes são mesorregiões do estado de Minas Gerais, situadas na porção sudeste do estado, próxima à divisa dos estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Totalizando 142 municípios na Zona da Mata e 36 no Campo das Vertentes, juntas possuem mais de 2,7 milhões de habitantes.

Economia

As duas regiões possuem participação de cerca de 10% no PIB de Minas Gerais. O setor agrícola, o setor industrial e o setor de serviços da região são as principais matrizes econômicas da região. Destacam-se as indústrias, a criação de gado leiteiro e plantações de cana-de-açúcar, café, milho e feijão.

O setor de serviços responde por mais de 65% do PIB da Zona da Mata & Vertentes. O principal polo regional de serviços é Juiz de Fora, que é o quinto município do estado no setor. Outros municípios que se destacam no setor de serviços são Carangola, Ponte Nova, Viçosa, Ubá, Cataguases, Muriaé, Leopoldina e Além Paraíba.

A indústria, com 19,9% do PIB regional, tem como principais segmentos a metalúrgica, automobilística, têxtil e moveleira. Na indústria moveleira, Ubá se destaca sendo o maior polo moveleiro de Minas Gerais e o segundo maior do Brasil.

A agropecuária representa 9,1% tem como principal produto agrícola o café. Na pecuária, destacam-se a produção de leite e a criação de bovinos, suínos e aves.

As regiões ainda possuem 11 das maiores cidades do estado na seguinte ordem: Juiz de Fora, Barbacena, Ubá, Muriaé, São João del Rei, Viçosa, Cataguases,
Leopoldina, Santos Dumont, Visconde do Rio Branco e Além Paraíba.

Educação

Destaca-se em Minas Gerais com 5 universidades públicas bem conceituadas e um Parque Tecnológico em funcionamento. As principais instituições públicas de ensino superior são a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Universidade Federal de Viçosa (UFV), Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ), Universidade Federal de Lavras (UFLA), Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) em Carangola, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet/MG) em Leopoldina e os campus do IF Sudeste MG presentes em várias cidades. Além dessas, a região conta com uma série de instituições privadas de ensino superior.

Transporte

Localizada entre as três principais cidades do país, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo, é bem servida de vias de comunicação rodoferroviárias, com nove rodovias federais que cortam a região: BR-040, BR-116, BR-120, BR-262, BR-265, BR-267, BR-393, BR-356 e BR 482.

Conta também com duas ferrovias, a Ferrovia do Aço e a Centro Atlântica, e os aeroportos da Serrinha, em Juiz de Fora, e Aeroporto Regional da Zona da Mata, em Goianá, com vôos comerciais regulares e pista com capacidade de operações de jatos comerciais. Os demais aeroportos da região atendem somente aviação geral, privada.

Turismo

O nome da Zona da Mata deriva da Mata Atlântica, originalmente a cobertura vegetal dominante. Na Serra do Caparaó, na divisa com o Espírito Santo, situam-se o Pico da Bandeira e o Pico do Cristal. Outros pontos importantes do turismo regional são o Parque Nacional do Caparaó e os parques estaduais do Ibitipoca e da Serra do Brigadeiro.

Já o Campo das Vertentes começa a ser habitado por volta de 1701, com foco em policultura e extração de ouro, com cidades sendo desenvolvidas devido ao perfil produtor. Por ter seus vales férteis recebe o nome de Campo das Vertentes no século XVIII.

Dados sobre a Zona da Mata & Vertentes

48.311,729 Km² de área

178 municípios

+ de 2.700.000 de habitantes

5 universidades públicas

PIB: R$ 51 milhões (2015)

PIB per capita: R$ 17,500 mil

+10% do PIB de MG

2 grandes aeroportos