Em reunião realizada na manhã de hoje, 10, o Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI Mata) debateu duas propostas de ações, esboçadas pelo Grupo Temático (GT) da Indústria, com representantes de oito programas de Pós-Graduação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). A discussão aconteceu no Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt/UFJF) e o objetivo de ambas as proposições é aproximar as pesquisas desenvolvidas no âmbito acadêmico por esses grupos e as empresas do segmento industrial da saúde.

Ao apresentar as informações que o GT levantou no processo de elaboração das ações, o Diretor de Inovação da UFJF, Ignacio Delgado, explicou que os principais setores produtivos vinculados à saúde são a indústria farmacêutica e a de equipamentos médicos e odontológicos, que têm, por característica, sem intensivos em tecnologia. “É um aspecto que exige e incorpora conhecimento de alto nível, que, por sua vez, é desenvolvido nas instituições de pesquisa, especialmente universidades”.

“Nesse nicho, o desenvolvimento de produtos acontece por meio da interação contínua com a prática clínica e a rede de serviços”, pontua ele. “Como a pesquisa de alto nível nas Universidades é conduzida por pesquisadores que estão, via de regra, ligados a programas de Pós-Graduação, é essencial que estes assumam a coordenação das iniciativas que estamos tentando desenvolver enquanto instituição, no sentido de fortalecer o Complexo Econômico e Industrial da Saúde (Ceis)”.

 

Somando esforços

A primeira proposta discutida consiste em um Seminário sobre Saúde e Inovação, a ser realizado no final do primeiro semestre deste ano, e que discutirá temas como incorporação tecnológica em saúde; pesquisa clínica; política industrial e tecnológica para o Ceis; e propriedade intelectual e inovação na área da saúde. Para organizar o evento, foi decidido que uma comissão organizadora será formada entre os coordenadores dos Programas de Pós-Graduação (PPGs) envolvidos.

Já a segunda ideia é a Mostra de Pesquisa e Inovação em Saúde, planejada para ocorrer no final do segundo semestre, na qual serão apresentadas as expertises existentes nas instituições de pesquisa de Juiz de Fora relacionadas à área. Para tanto, será realizado um mapeamento preliminar entre os pesquisadores locais, a fim de identificar potencialidades entre os trabalhos acadêmicos. Já na reunião de hoje, foi definido que esse levantamento será coordenado pela professora da Pós-Graduação em Modelagem Computacional, Priscila Goliatt.

“É fundamental que a Pós-Graduação acentue sua interação com o universo empresarial, de forma a atuarem como emuladores de uma eventual redefinição da agenda de pesquisa que é desenvolvida em diferentes esferas da vida acadêmica”, ressalta Delgado. “Não de forma a diminuir o peso da pesquisa básica, mas para também conectá-la às demandas da sociedade brasileira. Os PPGs, tendo em mira seu próprio desenvolvimento e sua potencial contribuição à economia regional, têm muito a ganhar se envolvendo mais diretamente nesse tipo de iniciativa. Esse é um jogo de soma positiva, no qual todos vão se beneficiar”, enfatiza.