Palmilha que capta energia elétrica vence Desafio de Startups do IF Sudeste MG

Proposta foi feita pela a equipe EnergyEasy, formada por seis estudantes mullticampi. O evento, realizado entre os dias 3 e 5 de outubro, proporcionou aos participantes condições de desenvolvimento de projetos e mostrou as vantagens que fomentam o segmento.

Com uma ideia na cabeça e motivados pela necessidade da demanda moderna por serviços e soluções criativas, estudantes do IF Sudeste MG foram provocados a elaborar um projeto de negócio em que a inovação e tecnologia fossem a palavra de ordem. No Desafio das Startups, a equipe EnergyEasy, formada por seis estudantes mullticampi, foi a campeã com a criação de um dispositivo para ser acoplado à palmilha de um calçado, possibilitando a captação de energia elétrica ao caminhar para ser utilizada, por exemplo, no carregamento de um telefone celular.

O evento, realizado entre os dias 3 e 5 de outubro, proporcionou aos participantes condições de desenvolvimento de projetos e mostrou as vantagens que fomentam o segmento. A estudante de Sistemas de Informação do Campus Juiz de Fora, Laís Alves da Silva, integrou a equipe e disse que a escolha da ideia foi baseada em algo simples que proporcionasse um maior impacto na sociedade. “Escolhemos algo que fosse de fácil resolução e que alcançasse o maior número de pessoas. A interação e a troca de ideias entre os estudantes de ouros campi foi o ponto alto do desafio, além, é claro, das lições que tivemos de como consolidar uma ideia e desenvolver projetos”, explica.

As declarações de Laís vão ao encontro do que preconiza o administrador Rafael Gonçalves, membro do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e um dos avaliadores dos projetos apresentados durante o Desafio. “Uma ideia por si só não vale nada. É necessário verificar se há uma necessidade real de mercado. Por isso é importante que as instituições de ensino criem um ecossistema empreendedor, incentivando os estudantes e dando condições para que desenvolva projetos, gerando novos negócios e impulsionando a economia”.

Para a diretora do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia do IF Sudeste MG (Nittec), Flávia Ruback, a proposta do Desafio está alinhada com ações institucionais de capacitação de recursos humanos em empreendedorismo, gestão da inovação, transferência de tecnologia e propriedade intelectual. “Nosso objetivo é fomentar a cultura do empreendedorismo, inovação e geração de startups na comunidade acadêmica, incentivar os alunos a resolverem problemas reais através de soluções criativas, inovadoras e empreendedoras de alto impacto para a sociedade e capacitando a comunidade interna em metodologias e técnicas que contribuam para a geração de startups”.

* Este material foi produzido por Pedro Lima da Ascom/Reitoria do IF Sudeste e reproduzido pelo núcleo de comunicação do GDI-Mata

3° Meet-Up GDI debate eficiência energética para empresas

O “3° Meet-up GDI Mata: Como economizar energia elétrica na sua empresa” reuniu empresários de diversos setores para mais um encontro da série de eventos voltados para  empreendedorismo do GDI. O meet-up ocorreu na última quarta-feira (19), no restaurante Pimenta, Picanha e Pinga.

O facilitador da ação foi o professor doutor em Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Fabrício Campos, que trouxe dicas e debateu com os participantes as melhores formas de se obter uma eficiência energética de até 50% nas empresas.

Segundo ele, “existe uma necessidade grande no mercado de certa forma entender como funciona a parte de cobrança e tarifação da energia elétrica e efetivamente você vê mudanças e resultados nessa redução.” Em sua apresentação ele deu destaque para as fontes de geração de energia, a forma que a concessionária cobra essa geração e as chamadas energias ativa e reativa. Entre outros processos, ele mostrou como reduzir essa energia reativa, pois de acordo com Fabrício, “a energia ativa é a que de fato produz alguma coisa, mas a reativa é a que sobra, você está pagando mas talvez não está produzindo”. O professor tmabém forneceu a possibilidade de realização de um diagnóstico de eficiência energética para as empresas e já foram firmadas cerca de 3 parcerias.

O próximo meet-up está previsto para acontecer no dia 9 de Outubro e será voltado para finanças. Mais informações em breve pelos meios de comunicação do GDI.

Palestra de abertura do Minascon promove discussão sobre competitividade do setor da construção

O especialista Luiz Henrique Ceotto falará sobre a indústria 4.0 e o futuro da construção

 

Nos dias 25, 26 e 27 de setembro, Juiz de Fora recebe a 15ª edição do maior evento unificado da cadeia produtiva do setor de Construção Civil e Pesada em Minas Gerais, o Minascon, que será realizado no Trade Hotel e tem como tema-chave “Novas tecnologias e a reinvenção da indústria”. A abertura do evento ocorre nesta terça-feira (25), a partir das 19h, com a palestra “A indústria 4.0 e o futuro da construção”, que será ministrada pelo professor da Universidade Federal de São Carlos e professor na Escola Politécnica da USP, Luiz Henrique Ceotto. As inscrições para a ação devem ser realizadas no site do Minascon.

O especialista abordará temas importantes para a construção, como o atual quadro comparativo do setor com outros setores industriais brasileiros, além de reflexões sobre como inovação, tecnologia, mudanças no ambiente de negócios brasileiro e a urgente formação de líderes no setor podem influenciar positivamente a competitividade do setor construtivo.

“Erroneamente, pensamos que nosso país não possui tecnologia de ponta na construção e não está inserido no contexto da inovação ou indústria 4.0, por exemplo. O problema é justamente oposto, temos acesso a essas tecnologias, mas não estamos culturalmente preparados para usufruir de todas elas da melhor forma”, aponta Ceotto. Ele ainda completa: “temos um quadro de empresas que mal passaram da indústria 1.0 e querem saltar para a 4.0 sem preparação e é isso que queremos demonstrar fazendo um paralelo com outros setores, principalmente o automotivo”, finaliza.

Engenheiro, Luiz Henrique Ceotto dirige a empresa de consultoria em produtividade TECNOENG Consultoria Empresarial Ltda e a startup Urbic_Inc., especializada em construções habitacionais industrializadas. Foi responsável por todas as atividades de projeto e construção no Brasil pela Tishman Speyer Properties, até março de 2017.

Antes de ingressar na Tishman Speyer, passou mais de 20 anos liderando as atividades de construção e de desenvolvimento tecnológico da Encol S/A e na Construtora Inpar. Na área acadêmica, ministrou cursos no Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São Carlos e é professor visitante da Faculdade Politécnica da Universidade de São Paulo. Publicou vários artigos e dois livros, sendo um sobre produção de fachadas e outro sobre custos. É formado em Engenharia Civil na Universidade de Brasília, possui mestrado em Engenharia de Estruturas pela Escola de Engenharia de São Carlos USP e Executive Certificate in Strategy and Innovation – Sloan School of Management, no Massachusetts Institute of Technology (MIT).

 

Mais informações no site: www.minascon.com.br

*Esse material foi produzido pela agência Sebrae de Notícias e replicado pela Comunicação do GDI. 

I Workshop GDI Mata e Vertentes reúne diversos setores nos dois anos do grupo

Para comemorar os dois anos do Grupo de Trabalho, Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata) foi realizada nesta quinta-feira, 23, o I Workshop GDI Mata e Vertentes que finalizou uma série de encontros que celebram a data. O evento aconteceu Museu de Arte Murilo Mendes (Mamm) e envolveu acadêmicos, empresários e representantes do poder público em discussões acerca de temas relacionados ao desenvolvimento econômico, utilização de tecnologias associadas à indústria 4.0 e os caminhos para construção de um ecossistema de inovação na Zona da Mata mineira e Vertentes.  

Segundo o prefeito Antônio Almas, o evento é uma grande oportunidade de desenvolvimento regional. “Acredito que Juiz de Fora não pode pensar no seu crescimento sem ter a visão da Zona da Mata e Vertentes. Esses dois anos do GDI são comemorados com essa visão de rede, que permite dialogarmos e pensarmos o crescimento de toda a região”.

O reitor da Universidade Federal de Juiz de Fora, Marcus David avaliou o evento como uma síntese do papel que a instituição deve exercer para contribuir com o desenvolvimento local. “A Instituição deve possibilitar que o conhecimento possa ser apropriado pelo mercado para alavancar o crescimento da região. As associadas do GDI possuem todas as condições de oferecer oportunidades para as empresas”.

As palestras e o painel contaram com a presença da presidente do Sindicato das Indústrias de Alimentação de Juiz de Fora (SIA-JF) e proprietária da empresa de Condimentos Portuense, Flávia Gonzaga; do presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Mobiliário de Ubá (Intersind), Áureo Barbosa; do atual presidente da Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região (ADJFR), Célio Carneiro Chagas; do diretor-geral do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), David Kupfer; e do diretor-executivo da Fundação de Desenvolvimento e Pesquisa Participações S/A (Fundepar), Ramon Dias de Azevedo.

No evento, além da exibição de toda a trajetória do grupo nesse dois anos de existência e ações em curso, foi revelado que estão sendo feitas conexões para que a Universidade Federal de Viçosa (UFV), a de São João del Rei (UFSJ), e a de Lavras (UFLA) integrem o grupo, tornando assim, o GDI Zona da Mata e Vertentes.

“2° Meetup GDI Mata: estratégias para fomentar vendas locais” reúne empresários e representantes da região

O “2° Meetup GDI Mata: Como fomentar vendas locais” reuniu empresários e representantes de instituições para debater as melhores formas de impulsionar o desenvolvimento de setores como o produtivo a longo prazo na região. O encontro é o segundo de uma série de eventos que marcam os 2 anos do Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação da Zona na Mata Mineira.

 

O economista Fernando Perobelli realizou uma apresentação sobre o tema, versando sobre o consumo, restrição orçamentária da região, os ambientes externo e interno para o comportamento do mercado e estratégias de expansão do mesmo. O destaque de sua fala ficou para a mudança na estrutura estratégica do mercado, que vem ao longo dos anos se formando em torno da parceira ao invés da concorrência local. Segundo ele “hoje, como a gente tem o mundo como mercado, a possibilidade de diminuição dos custos com transporte e a inserção do nosso produto em vários locais, essa questão da parceria faz com que a gente potencialize o nosso tamanho.” A união desses pontos, de acordo com ele, faz com que haja um compartilhamento de riscos, redução de custos, a criação da identidade de marca no município e o aumento da qualidade final. Após a mediação do economista, com a inclusão de um rodada de perguntas e respostas, foi aberta uma roda de conversa entre os participantes, que tiveram a oportunidade de trocar experiências e conhecimentos de suas respectivas áreas.

 

O próximo encontro do grupo será o “I Workshop GDI Mata e Vertentes”, que ocorrerá no dia 23 de agosto, às 17h no Museu de Arte Murilo Mendes, com a presença de palestrantes como David Kupfer, diretor geral do Instituto de Economia da UFRJ e Ramon Dias de Azevedo, diretor executivo da Fundepar . Saiba mais sobre esse evento em: https://www.facebook.com/events/2297877350237398/. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas gratuitamente pelo link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScfqvfa4f2f3Bll7-oe5KD0_GRsGzYRoFnGzVucgGkCyq66Xw/viewform

 

Confira abaixo as fotos do 2° MeetUp:
2° Meet-Up GDI

I Workshop GDI Mata e Vertentes marca os dois anos do grupo

O Grupo de Trabalho Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira (GDI-Mata) está completando dois anos de existência e vem realizando uma série de eventos para marcar a data. Para finalizar a programação, no dia 23 de agosto, vai realizar, no Museu de Arte Murilo Mendes (MAMM), a partir das 17 horas, o I Workshop GDI Mata e Vertentes. Na ocasião, acadêmicos, empresários e profissionais envolvidos em instituições públicas vão debater as perspectivas da economia regional, considerando as possibilidades de desenvolvimento e utilização de tecnologias associadas à indústria 4.0 e os caminhos para construção de um ecossistema de inovação na mata mineira e vertentes.

O encontro vai contar com a presença de Flávia Gonzaga, proprietária da empresa de Condimentos Portuense e presidente do Sindicato das Indústrias de Alimentação de Juiz de Fora (SIA-JF), que vai participar do Painel “Perspectivas da economia da Mata e Vertentes: a visão empresarial” ao lado de Aureo Barbosa, presidente do Sindicato Intermunicipal das Indústrias do Mobiliário de Ubá (Intersind) e Célio Carneiro Chagas, atual Presidente da Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região (ADJFR). Já David Kupfer, diretor geral do Instituto de Economia da UFRJ, vai falar sobre a “Indústria 4.0 no Brasil – Perspectivas pública e privada”, trazendo sua visão a partir dos resultados da pesquisa coordenada por ele sobre o panorama atual e futuro desse campo, encomendada pelo projeto Industria 2027 e publicada em dezembro de 2017.

Para fechar o evento, contaremos com uma palestra ministrada por Ramon Dias de Azevedo, Diretor Executivo da Fundep Participações S/A, com a temática: “Como consolidar um ecossistema regional de inovação?”.

Seguindo uma série de meet-ups sobre as perspectivas de atuação do grupo, o workshop, além de traçar um panorama para as futuras atividades, serve como uma oportunidade para a disseminação de informação sobre as áreas que vêm se expandindo dentro do mercado de inovação e que afetam a competitividade do setor produtivo brasileiro.

 

As inscrições deverão ser feitas pelo link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScfqvfa4f2f3Bll7-oe5KD0_GRsGzYRoFnGzVucgGkCyq66Xw/viewform

 

Duvidas e outras informações pelo e-mail: gdimata@gdimata.com ou pelo telefone (32) 2102-3435 (Ramal 206)

 

Confira abaixo a programação completa do evento:

atualizado

Sebrae Minas promove capacitações para MPE

Em agosto, o Sebrae Minas preparou uma agenda especial de capacitações voltadas para as micro e pequenas empresas (MPE) de Juiz de Fora. São dois cursos, uma oficina e um seminário. Já para o microempreendedores individuais (MEI), o Sebrae realiza, todas as segundas-feiras, a oficina Como ser MEI na prática, das 14h às 17h.

As inscrições para todas as atividades devem ser feitas pelo telefone 0800 570 0800, no www.sebraemg.com.br ou pessoalmente, no ponto de atendimento do Sebrae Minas, em Juiz de Fora. Informações pelo telefone (32)3257-4712.

Programação MPE

Seminário Food Service

06/08|19h às 22h|Gratuito

Oficina Como elaborar a divulgação da sua empresa

08/08|18h30 às 22h30| R$30,00

Curso: Líder coach (32 horas divididas em 2 workshops + 4 horas de consultoria)

20 e 21/08 – 10 e 11/09|8h às 18h|R$700,00

Curso: Como obter melhores resultados com vendas – (16 horas de curso + 3 horas de consultoria)

27 a 30/08|18h30 às 22h30|R$570,00

Ponto de Atendimento do Sebrae Minas em Juiz de Fora

Av. Olegário Maciel 436 – Santa Helena

Horário de atendimento: de segunda a sexta, de 8h30 às 17h30

(32) 3257-4712 / 0800 570 0800

GDI Mata promove o 1° Meet-Up: Trajetória e Novas Perspectivas

Aconteceu ontem (17/07) o 1° Meet-Up GDI-Mata: Trajetória e Novas Perspectivas, o primeiro de uma série de encontros que marcam os dois anos do Grupo de Trabalho, Desenvolvimento e Inovação para a Mata Mineira. Os encontros servem para estimular o diálogo entre diferentes esferas da sociedade e traçar novas perspectivas de atuação do grupo no futuro.

No primeiro encontro, o empresário Yoshio Shubo apresentou sua experiência no Vale do Silício e o que aprendeu que pode servir para traçar objetivos mais específicos dentro do grupo. O diretor do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt), Ignácio Delgado, também apresentou as conquistas e realizações ate o momento e o que está definido como meta para o futuro, além de colocar alguns pontos positivos e negativos no grupo para debate entre todos.

O próximo Meet-Up está previsto para ocorrer no dia 7 de agosto, no Mr. Tugas, com o tema “Estratégias para fomentar vendas locais” e a presença do economista Fernando Perobelli. Ainda haverá o seminário ” I Workshop GDI-Mata e Vertentes” no Museu de Artes Murilo Mendes (MAMM), dia 23 de agosto, encerrando as celebrações.

Confira abaixo as fotos do evento:

1° Meet-Up GDI Mata

 

Sebrae Minas e Vallourec lançam programa para modernizar a indústria mineira

Iniciativa vai selecionar oito ideias de soluções inovadoras para serem aceleradas ainda este ano

O Sebrae Minas e a Vallourec vão acelerar oito ideias inovadoras para o setor da indústria. Startups e empresas com faturamento até R$ 4,8 milhões por ano podem concorrer ao edital com projetos de soluções logísticas de rastreamento, movimentação e controle de estoques. A inscrição dos trabalhos deve ser feita entre os dias 22 de junho e 8 de julho, pelo site www.sebrae.com.br/minasgerais. As ideias selecionadas receberão investimento e os empreendedores serão acompanhados pelo Sebrae durante oito meses.

O objetivo do Mind 4.0 é estimular a inovação na indústria mineira, aproximando a demanda de grandes empresas do setor de soluções que podem ser desenvolvidas por startups, micro e pequenas empresas. O nome do programa é inspirado no conceito de Indústria 4.0 ou 4ª Revolução Industrial, uma referência ao contexto atual do setor, marcado pelos impactos da transformação digital.

“A incorporação dessas inovações pela indústria brasileira é um desafio à modernização do setor, que carece principalmente de soluções de automação e controle visando à maior eficiência, autonomia e customização dos processos produtivos”, avalia a gerente da Unidade de Indústria do Sebrae Minas, Márcia Valéria Machado.

 “Temos desafios logísticos iminentes, como a identificação e rastreabilidade de itens de diversos tamanhos, desde pequenas peças de manutenção até barras de aço de quatro toneladas”, afirma Thiara Rodrigues, engenheira de Pesquisa e Desenvolvimento da Vallourec. Outra necessidade da empresa, segundo ela, é a gestão inteligente de estoques.

Os empreendedores selecionados no Programa Mind 4.0 participarão de um curso para construir ou aprimorar o modelo de negócio da empresa, e terão acompanhamento no desenho da solução apresentada. O programa inclui, ainda, dinâmicas de apresentação das ideias de negócios para públicos com potencial de investimento.

apresenta aos empreendedores e empresários os conceitos e C

Programa Mind 4.0

Inscrição dos projetos: 22 de junho a 8 de julho

Bootcamp (curso de empreendedorismo e desenvolvimento do modelo de negócio): 06 a 09 de agosto

Service design:  20 de agosto a 14 de setembro

Desenvolvimento das soluções: 17 de setembro a 20 de dezembro

Informações e inscrição: www.sebrae.com.br/minasgerais  e 0800 570 0800

Desafios do setor produtivo

 

Pesquisa recente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) aponta que 90% dos empresários do setor concordam que a Indústria 4.0 “aumentará a produtividade” e que “é uma oportunidade ao invés de um risco”. Apesar do otimismo, apenas 5% das empresas entrevistados se sentem “muito preparadas” para enfrentar os desafios da chamada 4ª Revolução Industrial.

O mesmo estudo mostra que as áreas com maior potencial para se beneficiar da Indústria 4.0 são: produção (55%), controle da produção (50%), rastreabilidade (38%), controle de qualidade (32%), planejamento (31%), e engenharia de desenvolvimento de novos produtos (31%).

Equipes são premiadas no Hackaton JF Inteligente

Nesse final de semana (de 8 a 10 de Junho) foi realizado o Sebrae Exchange/ Hackaton JF Inteligente, um evento que ofereceu capacitações para quem quer empreender nos segmentos de tecnologia, inovação e startup e que contou com uma maratona para estudantes e profissionais nos segmentos da tecnologia da informação, business e design, voltada a desenvolver propostas relacionadas ao conceito de cidades inteligentes.

Na fase do Hackaton, as 6 equipes formadas criaram protótipos de aplicativos para atender às demandas urgentes da cidade voltados para os seguintes eixos: educação; lazer, bem estar e turismo; habitação e infraestrutura; empreendedorismo; segurança e mobilidade urbana.

 

Durante as 24 horas em que os participantes estiveram presentes no Centro de Ciências da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) desenvolvendo seus projetos, eles tiveram a oportunidade de aprender um pouco mais sobre como apresentar um pitch e as etapas de criação de uma startup.

 

Rômulo Veiga, secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) destacou no encerramento que “a implementação de tecnologia à serviço do desenvolvimento urbano principalmente pelo setor publico vai muito além da qualificação da cidadania e é uma das soluções possíveis para o Brasil que a gente quer para os próximos 10, 20 anos.”

 

Ao final do evento, as três melhores equipes foram premiadas: em terceiro lugar ficou a “JF de Olho”, que criou um aplicativo de queixas de furto e roubo. Já em segundo lugar a “E-Vade” com um sistema de mesmo nome que identifica os alunos mais propensos à evasão escolar. Em primeiro lugar, a equipe “Asbtrata”, composta por Alisson Resende Rubim, Octávio Martins Moreira, André Borges Medeiros, Gevalmir Faciroli Carneiro e Gustavo da Silva Araujo, criou o APA, um programa que ajuda a fazer uma avaliação prévia de alvará online.

 

Organizado pelo Sebrae Minas, o evento foi realizado em parceria com o Grupo de Desenvolvimento e Inovação na Mata Mineira e Vertentes (GDI Mata), a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do estado de Minas Gerais (Sedectes), a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG) e a Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino, Pesquisa e Extensão (Fadepe), com o apoio da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora (PJF).

Confira abaixo alguns dos momentos do Hackaton: